Importa ser aprovado por Deus e não pelo homem

Importa ser aprovado por Deus e não pelo homem

Atualizado: Terça-feira, 15 Outubro de 2013 as 12:29

medalhaPara muitos foi uma surpresa Giovanni Evangelisti conquistar a medalha de bronze na prova de salto em distância no Mundial de Atletismo, em Roma em 1987. Os juízes lhe deram um salto de 8,38 m. Meses depois, descobriu-se que este resultado era falso, e que Evangelisti não havia atingido a marca. A medalha foi devolvida a Larry Myricks, que fora anteriormente o quarto lugar.
 
Os enganos ocorrem diariamente em nossas vidas, não só no mundo esportivo; que reflete a realidade, mas na política, nos negócios, no trabalho, nas escolas e até nas religiões. Sim, infelizmente as religiões são passíveis de enganos. Parece ser possível crer em qualquer coisa, por mais absurdo que possa parecer!
 
Todos nós conhecemos pessoas que vivem enganosamente. Seguem Deus por caminhos humanos e estão tão cegas por seus próprios erros, que é praticamente impossível convencê-las do contrário. Nós as amamos, mas suas convicções impossibilitam a convivência. O que poderíamos fazer com alguém assim? Vou dar-lhe algumas orientações:
 
1. Ser sensível ao Espírito de Deus quanto ao que devemos ou não dizer. Vencer um argumento não significa convencer a outra pessoa.
 
2. Demonstrar os frutos do Espírito em nossas vidas. Se não formos bons, pacientes e amáveis, nossos argumentos não convencerão.
 
3. Seguir o exemplo do Senhor Jesus. Estudar como Ele ensinou e falou com as pessoas. Quero desafiar você para que leia os quatro evangelhos e anote tudo o puder aprender com o melhor mestre que jamais existiu.
 
4. Não condenar. Os argumentos podem ser fúteis, mas as pessoas não o são. Censurar alguém pode fechar uma porta difícil de reabrir.
 
5. Valorizar os interesses comuns ao iniciar uma conversação.
 
6. Não usar todos os argumentos ao mesmo tempo. A pessoa não poderá assimilá-los de uma só vez, é melhor passo a passo.
 
7. Deixar a outra pessoa encontrar suas próprias respostas, especialmente se forem óbvias.
 
Se você der todas as respostas, o outro poderá rejeitá-las, mas se ele mesmo as encontrar (mesmo que não as compartilhe com você), esta pergunta permanecerá como um anzol em sua mente. Como você vê, o ponto de interrogação se parece com um anzol: O que você crê? Porque você diz…? O que acontecerá se…? Onde isso está escrito?
 
Lembre-se que Deus é o único que pode convencer alguém sobre a verdade. Lembre-se que o importante é ser aprovado por Deus, não por você ou qualquer outro.
 
 
Fonte original: Jogada Perfeita
 

veja também