"Intolerância religiosa é o novo racismo", afirma Grupo de Direito das Minorias

"Intolerância religiosa é o novo racismo", afirma Grupo de Direito das Minorias

Atualizado: Quinta-feira, 1 Julho de 2010 as 11:09

A intolerância religiosa se uniu ao racismo como uma das principais causas pelas quais as minorias são perseguidas em muitas partes do mundo, segundo revela o relatório publicado hoje por Grupo Internacional pelos Direitos das Minorias (Minority Rights Group International - MRG).

O documento destaca que fatores como o incremento do nacionalismo religioso, a marginalização econômica que sofrem certos grupos e o abuso da legislação antiterrorista levaram a uma crescente tendência à perseguição das minorias religiosas na maioria dos países da Europa Ocidental e da América do Norte.

Na Ásia e na África, a religião está substituindo rapidamente a raça e a etnia como causa de discriminação e de ataques violentos contra certas comunidades. Além disso, em muitos países, desde o Reino Unido até Etiópia ou Bangladesh, a relação entre pobreza e religião está se incrementando notavelmente.

No relatório, MRG denuncia que as minorias religiosas têm que fazer frente a ataques, detenções, torturas e à repressão de seus direitos fundamentais.

O diretor de MRG, Mark Lattimer, afirmou que "a intolerância religiosa é o novo racismo" e que "muitas comunidades que sofreram a discriminação racial durante décadas agora são marginalizadas por sua religião". É o que acontece hoje com os muçulmanos na Europa e nos Estados Unidos ou com os cristãos no Iraque e no Paquistão. (BF)

veja também