Irmãos se unem para matar a mãe em ritual satânico, no Peru

Uma das irmãs confessou à polícia que convenceu seus irmãos a oferecerem a mãe no sacrifício humano.

fonte: Guiame, com informações do Daily Mail

Atualizado: Quinta-feira, 26 Julho de 2018 as 12:56

Percy Quispe (esquerda), Marcelina Suane (centro) e Aurelia Quispe (direita), foram acusados de assassinar a mãe. (Foto: Daily Mail)
Percy Quispe (esquerda), Marcelina Suane (centro) e Aurelia Quispe (direita), foram acusados de assassinar a mãe. (Foto: Daily Mail)

Três irmãos mataram a própria mãe, de 75 anos, com o fim de realizar um culto de invocação ao diabo. Eles chegaram a arrancar os olhos e os intestinos da mulher e disseram que foram ordenados pelo "mestre das trevas", de acordo com a polícia. O fato aconteceu no Peru.

Segundo a polícia, os irmãos conspiraram juntos para matar a mãe no último sábado (24) durante a noite, em um ritual grotesco em que um ente querido precisava ser sacrificado ao diabo.

O comissário de polícia Julio Torreblanca disse ao canal de televisão Peru 21 que uma das irmãs arrancou os olhos da mulher durante o ritual, depois cortou alguns órgãos internos com uma faca, incluindo os intestinos.

Eles então jogaram as entranhas da mãe em um lago próximo e se banharam no sangue, "invocando o diabo", disse o policial sobre o caso.

Aurélia, descrita pela polícia como a líder, disse no momento em que foi presa: "O Mestre das trevas me ordenou, o rei dos demônios já está conosco, estamos mais fortes e a cada dia nos tornamos maiores".

Sacrifício humano

Mais tarde, ela contou à polícia que havia convencido seus irmãos mais velhos a oferecerem sua mãe no sacrifício humano depois de terem tido “um sonho estranho, no qual eu soube que tinha sido escolhida. Então um pequeno sapo apareceu na minha porta”, contou Aurélia.

A polícia depois recuperou os olhos e órgãos internos da mulher, que foram levados com o corpo para autópsia.

Os moradores alegaram que as seitas satânicas que operam em áreas remotas da província de Santa Cruz são conhecidas por praticar tais rituais horríveis, prometendo curas, sucesso e ganho financeiro.

O promotor responsável pelo caso descreveu o crime como "aterrorizante". Os três irmãos foram acusados ​​de homicídio qualificado, que pode ser punido com prisão perpétua.

veja também