Islamização do Ocidente se apresenta como novos desafios aos cristãos

Islamização do Ocidente se apresenta como novos desafios aos cristãos

Atualizado: Segunda-feira, 26 Julho de 2010 as 10:41

Desde os anos 60, um grande número de muçulmanos tem migrado para o Ocidente. Mas é uma migração incomum, pois os radicais estão deliberadamente tentando criar mudanças nas sociedades que os acolheram. Querem ganhar poder social, cultural, econômico e político, segundo relatórios de Michael Irlanda, correspondente-chefe da Assist News Service . Mas esse crescimento da presença e do poder do Islã no ocidente é uma oportunidade única para os cristãos. Patrick Sookhdeo, diretor internacional da Barnabas Fund, disse que para os cristãos, a crescente islamização do ocidente pode ser visto como um desafio e uma oportunidade de aguçar nosso pensamento e renovar o nosso evangelismo. "Nós, como cristãos, vemos o zelo, empenho e a vontade de sacrifício dos muçulmanos, que precisam ser levados ao arrependimento. Devemos orar por avivamento e pelo agir de Deus nesta geração. Precisamos permanecer firmes em nossas bases bíblicas e chegarmos em amor aos muçulmanos, oferecendo-lhes o evangelho da salvação em Cristo. Ele cita Yusuf al-Qaradawi, um clérigo muçulmano sunita popular, chefe do Conselho Europeu para a Fatwa, que disse: "O Islã entrou na Europa duas vezes e deixou-a. Talvez a próxima conquista, se alá quiser, será por meio de pregação e da ideologia. A conquista não precisa ser necessariamente pela espada. Nós vamos conquistar essas terras sem exércitos. Queremos um exército de pregadores e professores que irão apresentar o Islã em todas as línguas e em todos os dialetos”. Sookhdeo disse ainda que o secularismo já minou a base judaico-cristã da sociedade ocidental, e isso torna mais fácil para os muçulmanos radicais do ocidente o progresso em direção a sua meta. "Há também outros fatores que parecem fazer muitos ocidentais terem vergonha da herança judaico-cristã. Esses fatores incluem a culpa e a vergonha sobre as duas guerras mundiais, o colonialismo, o racismo e o holocausto", explica Sookhdeo. O que está acontecendo no ocidente está ligado à evolução mundial no Islã, segundo acredita Sookhdeo. "Os muçulmanos de todo o mundo estão recuperando sua confiança e promovendo o ressurgimento da religião. O objetivo deles é estabelecer controle na política, economia e cultura em cada país. Neste processo, o mundo islâmico é cada vez mais agressivo e intolerante em relação ao ocidente. Este ressurgimento do islamismo e do seu poder crescente traz um forte impacto às comunidades muçulmanas no Ocidente. Em resposta, o ocidente está gradualmente mudando suas estruturas, leis e costumes para servir as suas comunidades muçulmanas". Sookhdeo cita também o mulá Krekar, um islamista radical curda do Iraque, que conseguiu asilo na Noruega. "Nós somos o que irá mudar você. Basta olhar para o desenvolvimento na Europa, onde o número de muçulmanos está se expandindo como mosquitos. Toda mulher ocidental na UE está produzindo uma média de 1,4 filhos. Toda mulher muçulmana nos mesmos países produzem 3,5 filhos. Em 2050, 30% da população da Europa será muçulmana. Nossa maneira de pensar vai ser mais poderosa do que a sua”, diz o islamista. Migração e Demografia Os muçulmanos são ainda uma minoria no ocidente, no entanto, sua taxa de crescimento tem sido acelerada, declara Sookhdeo. A Office for National Statistics constatou que a população muçulmana tinha multiplicado dez vezes mais rápido que o resto da sociedade durante o período de 2004-2008. Impacto do islamismo Muitos muçulmanos que se estabelecem no Ocidente são tradicionalistas equerem recriar um novo país. Poucos são os secularistas que migraram para escapar do crescimento do islamismo radical no seu próprio país. Mas outros são muçulmanoss que se deslocaram para o ocidente com o plano de trabalho definido para a regra do Islã e sharia em todo o mundo.

Fonte e foto: Christian Telegraph

Postado por Débora Padoin Malva

veja também