Issao Imamura fala sobre atuação no ilusionismo: “É uma ferramenta para transformar”

O ilusionista brasileiro Issao Imamura tem despertado o público através de truques teatrais.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Quinta-feira, 23 Fevereiro de 2017 as 8:35

Issao Imamura é considerado o maior ilusionista do Brasil. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)
Issao Imamura é considerado o maior ilusionista do Brasil. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

Considerado o maior ilusionista do Brasil, Issao Imamura já exibiu muitos de seus truques em apresentações na televisão, shows e internet. Seu envolvimento no mundo do ilusionismo começou aos 10 anos de idade.

“Eu era um garoto muito tímido, eu gostava só de artes introspectivas, fazia alguns desenhos e era um bom aluno. Mas eu tinha dificuldade de me relacionar com as pessoas”, disse Issao em entrevista exclusiva ao Guiame.

Percebendo isso, sua mãe aproveitou seu aniversário para dar de presente uma caixa de mágica, que traria uma mudança em sua vida. “Isso fez com que eu vencesse a timidez para poder mostrar os truques e ver a reação da plateia. Depois de um tempo, eu passei a ser o centro das atenções nas festinhas de aniversário e da escola”, ele lembra.

Desde então, sua trajetória com os truques foram se intensificando e Issao passou a ser conhecido em todo o país. Através de seu trabalho, ele passou a entender que poderia gerar impacto na vida das pessoas. “Chegamos à conclusão de que o ilusionismo é uma poderosa ferramenta para auxiliar na transformação de mentalidade”, afirma.

Uma das grandes missões de Issao é esclarecer o conceito de mágica. “A palavra mágica tem várias conotações na língua portuguesa. Temos a mágica do feiticeiro, a mágica de um artista que faz tudo na teatralidade ou uma experiência mágica, que envolve o encantamento. São três sentidos diferentes para a mesma palavra”, observa.

“O mágico é um artista, e não um feiticeiro. O feiticeiro usa métodos sobrenaturais ou até mesmo naturais, mas com um único sentido: iludir a pessoa e levar toda glória para si mesmo, mostrando que o poder está nele. Independente de ser artista ou feiticeiro, o maior crime é quando a pessoa leva a glória para si mesma”, acrescenta Issao.

veja também