IURD inaugura primeiro núcleo de oração na Cracolândia

IURD inaugura primeiro núcleo de oração na Cracolândia

Atualizado: Sexta-feira, 15 Abril de 2011 as 11

No último domingo (10), a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) inaugurou o primeiro núcleo de oração na Cracolândia, região central da cidade de São Paulo, conhecida por “abrigar” centenas de viciados em drogas.

Às três horas da tarde, o pastor Edson Costa (foto abaixo) iniciou a reunião com pouco menos de 20 pessoas. Mas, logo em seguida, o lugar, de piso branco e paredes azul-celeste, foi tomado por dezenas de homens, mulheres e crianças ávidos por uma Palavra de transformação.Antes de começar a oração, o pastor cantou “Segura na mão de Deus”, hino que fez muitos dependentes chorar. “Aos Teus olhos, essas pessoas têm um valor grandíssimo”, disse o pastor, intercedendo a Deus pelas pessoas.

Em seguida, já na pregação, ele afirmou: “Todo o mundo critica este lugar, mas ninguém ajuda. A maior ajuda que podemos dar é essa que viemos trazer.”

Para o pastor, a Cracolândia não é um caso perdido, mas um caso ‘achado’, a partir de agora, com a chegada da Luz da Salvação.

Do lado de fora da Casa de Oração, voluntários cortam cabelo, fazem unha e aconselham espiritualmente os dependentes. De acordo com Ezequiel Ferreira, um dos organizadores do evento, o núcleo funcionará às terças e quintas-feiras, às 19h; aos sábados, com o grupo jovem realizando reunião e recreação e; aos domingos, em dois horários: às 15h e 16h30, conforme a necessidade.Antes de terminar a breve reunião, o pastor conversou com Siona Giovina da Silva . A mulher, de 52 anos, viveu há três na Cracolândia. Moradora dos arredores, ela mergulhou nas drogas quando se envolveu com amizades, segundo ela, erradas.

Primeiro, Siona conheceu o álcool, depois, passou a usar maconha até chegar ao crack. E, como se não bastasse, envolveu-se ainda na prostituição. Tudo para manter o vício. Porém, foi uma prostituta que a convidou para participar de uma reunião na Igreja Universal. No início, ela diz, foi duro, mas conseguiu perseverar durante um ano até se livrar de uma vez por todas das drogas.

Sobre o trabalho da IURD no lugar, Siona aprova e se alegra com a iniciativa da igreja. “Eles, os viciados, são pessoas boas, só que precisam de alguém para ajudar, porque é muito difícil um dependente abandonar as drogas sozinho. Eles só precisam de uma oportunidade para sair.”

A oportunidade que está sendo dada reflete a importância dos trabalhos de evangelização. “Quem pensa no próximo, pensa como Deus”, é a frase-chave dos voluntários que participaram do evento. A reunião chegou ao fim, mas nenhum dependente, por mais sujo e mal cheiroso que estivesse saiu daquela Casa de Oração sem um doce abraço, um afago e a esperança de que a Vida é muito maior do que esta que eles vivem.  

veja também