IURD ressocializa presos de todo o Brasil

IURD ressocializa presos de todo o Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 30 Novembro de 2011 as 11:42

O pastor Miguel Soares da Silva é o responsável pelo evangelismo em cárceres do Estado. “No período de janeiro de 2008 até dezembro de 2010, a iniciativa envolveu 32 voluntários e batizou 1.062 presos. Cerca de 3 mil apenados, entre homens e mulheres, em João Pessoa e áreas metropolitanas, puderam conhecer a Palavra de Deus”, confirma. Dentre os serviços em nove unidades prisionais, destacam-se: orientação espiritual, cultos semanais de quarta-feira a sábado, entrega de kits de higiene, Bíblias Sagradas, livros, revistas e jornais, além de assistência referente à movimentação do processo na Vara de Execuções Penais (VEP).

PARANÁ No Paraná, o pastor Onésio Custódio Jorge trabalha voluntariamente no projeto há 20 anos. Segundo ele, são 54 voluntários que levam ensinamentos bíblicos aos presos por meio de cultos semanais. Dentre as unidades assistidas, há a Casa de Custódia de Curitiba, o Centro de Detenção Provisória de a São José dos Pinhais, a Penitenciária Central do Estado, a Penitenciária Estadual de Piraquara, a Colônia Penal Agrícola, o Complexo Médico Penal e os Educandários (onde são feitos trabalhos com adolescentes). “Paralelamente, também recebem atendimento algumas casas de recuperação para dependentes químicos”, diz. O pastor Onésio afirma que, para evangelizar, são distribuídas cerca de 350 Bíblias e diversos exemplares da Folha Universal e da revista “Plenitude” mensalmente. “Fazemos ainda cerca de 30 batismos por mês”, diz.

GOIÁS O pastor Ailton Sebastião de Freitas está à frente do trabalho evangelístico em Goiás há 10 anos. Ele conta que muitos presos já conheceram a Palavra de Deus, inclusive, esta tem alcançado cerca de 300 detentos por mês. “Atualmente, realizamos reuniões três vezes por semana na Casa de Prisão Provisória (CPP), situada na Área Industrial, em Aparecida de Goiânia”, declara. Segundo o pastor, foram batizados mais de 2 mil detentos durante esses anos de evangelismo e doadas milhares de Bíblias, exemplares do jornal e livros do bispo Edir Macedo. “O trabalho é árduo, mas gratificante. A sociedade, muitas vezes, não acredita na recuperação do apenado. Porém, acreditamos. Deus não julga o homem pelo exterior, acontecendo o arrependimento, Ele acolhe o pecador e dá nova chance de vida”, enfatiza.

MINAS GERAIS Em Minas, o coordenador é o pastor Celso Andrade Araújo. Lá, são feitos trabalhos em penitenciárias, cadeias públicas, no Centro de Internação Provisória (CIP) e no Centro de Internação de Adolescentes (CIA). O resultado tem proporcionado a ressocialização dos encarcerados, menores infratores e ajudado milhares de famílias de presidiários. “Cerca de 70 unidades estão envolvidas no projeto que proporcionou o batismo de  aproximadamente 2,8 mil detentos e a evangelização de 30 mil. São realizadas ainda reuniões com os parentes dos detentos com o objetivo de orientá-los espiritual e juridicamente”, diz o pastor.

veja também