Jaime Kemp comenta a aprovação da união estável entre homossexuais

"Deus ama o gay, mas não ama o comportamento homossexual"

Atualizado: Quinta-feira, 31 Maio de 2012 as 10:27

A Comissão do Senado aprovou recentemente a lei que reconhece a união estável de casais homossexuais no Código Civil.

Para a igreja evangélica isso tem um significado mais preocupante e o pastor norte-americano Jaime Kemp relata a decisão como desastrosa.

Ele é doutor em ministério familiar e lamenta a aprovação. “A decisão da comissão de direitos humanos do senado brasileiro é desastrosa para a família, numa questão de mais ou menos 50 anos a liderança está redefinindo a família”, disse o pastor ao The Christian Post.

Jaime Kemp reforça a criação real feita por Deus. “A estrutura familiar conforme o arquiteto do lar que é Deus e sua revelação através de sua palavra à Bíblia, define marido/pai, esposa/mãe e filhos. Este é o ideal de Deus e tem sido assim por milhares de anos e por dois milênios ensinado pela igreja (...) “Agora os homossexuais, dois homens ou duas mulheres podem adotar uma criança, as lésbicas ainda podem fazer inseminação artificial ter filhos e chamar isso de família", indagou.

O pastor citou Gênesis 1:25 que fala da criação do homem e da mulher e da ordem dada por Deus para reproduzirem.

“Como dois homens ou duas mulheres podem cumprir essa ordem e a benção de Deus? Porque filhos precisam de papais e mamães, maridos precisam de esposas e esposas de maridos. Peço a Deus que tenha misericórdia das famílias!”, expôs.

A senadora Marta Suplici diz que a lei é para que a “fé de uns não se sobreponha à liberdade pessoal de outros”.

Sobre o posicionamento das igrejas, Jaime Kemp deixa claro que é “Lembrar que Jesus Cristo entregou sua vida na cruz para pagar o preço do nosso pecado. Deus ama o gay, porém não ama o comportamento homossexual. Os escritos bíblicos nos ensinam que devemos ter atitude de cristão comprometidos com sua palavra, devemos amar os homossexuais e não o seu comportamento”.

Ele ensina que tudo deve ser feito com muito amor e que as igrejas não devem ter medo de falar sobre o assunto com o povo, assim como as famílias e líderes também deve orientar seu rebanho e filhos sobre o plano original de Deus.


com informações do Christian Post

veja também