Jesus casamenteiro

Jesus casamenteiro

Atualizado: Segunda-feira, 3 Junho de 2013 as 9:30

alianças“E no terceiro dia houve um casamento, em Caná, na Galiléia”.
João 2
 
O escritor se vale de linguagem metafórica com muita riqueza de detalhes. “No terceiro dia, houve um casamento”, ele registra. Há pessoas que creem que ele está fazendo referência à ressurreição de Jesus, que ao vencer a morte, casou, em si mesmo, todas as realidades do Universo. Muito possível e eu gosto da ideia.
 
Fato é que em Jesus tudo se casa. Tudo nele e tudo, a partir dele, em nós. Tudo em Jesus sofre a ação do casamento, enquanto fora dele, de separação.
 
Enquanto nossa tendência natural é promover o afastamento, a fuga, o isolamento, a ação do Espírito de Deus no mundo é de união, aproximação, ajuntamento.
 
Quando duas ou mais pessoas se dispõe a vencer sua tendência natural de divórcio de si mesmas, delas com as outras e com a vida que há em todas as realidades, Jesus é o primeiro a aparecer para a festa, pra garantir que haja casamento verdadeiro.
 
 
- Alexandre Robles
 

veja também