Jesus é alvo recorrente em polêmicas pop

Jesus é alvo recorrente em polêmicas pop

Atualizado: Terça-feira, 23 Fevereiro de 2010 as 12

Referências a Jesus Cristo são corriqueiras e controversas no universo pop. Madonna comprou briga com a Igreja Católica ao dançar sensualmente com um Jesus negro no clipe de "Like a Prayer". Já a irlandesa Sinead O"Connor foi banida da TV americana quando se apresentou no programa "Saturday Night Live", em 1992, e rasgou uma foto do papa João Paulo 2º, dizendo: "Lute contra o verdadeiro inimigo".

Agora é a vez de Elton John colher críticas e apoio por conta de sua declaração polêmica.

"Ele claramente quis impactar. Não precisa aparecer e tem compromisso com a causa", diz André Fischer, diretor do portal GLS. "Por outro lado, qual seria o problema se Jesus fosse gay? Ele seria menos filho de Deus por isso?", desafia.

Regina Soares doutora em ciências da religião pela PUC, avalia que o cantor usou a frase "como elemento de legitimização da homossexualidade".

Para Cônego Severino Martins, da paróquia de Assunção de Nossa Senhora, "os homossexuais devem ser respeitados, amados e ter seus direitos respeitados. Mas é um absurdo e uma loucura tentar justificar isso na figura de Jesus Cristo."

O Evangelho de São João, capítulo 13, versículo 23, descreve os momentos que antecedem cena imortalizada por Leonardo Da Vinci em "Última Ceia". Nele, São João Evangelista é identificado como o discípulo de Jesus "a quem ele amava". Em seguida, João reclina a cabeça sobre o peito de Jesus. "A cena pode insinuar algo. Para Antonio Flávio Pierucci, professor de sociologia das religiões na USP, "para quem tem malícia ou imaginação, está aí um prato cheio."

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também