Jesus, Salomão ou Moisés - Quem conhece alguém mais sábio?

Jesus, Salomão ou Moisés - Quem conhece alguém mais sábio?

Atualizado: Terça-feira, 9 Março de 2010 as 12

De volta ao Brasil, o professor sueco Samuel Ericsson - fundador e presidente do Advocates International -, discursou sobre direitos do cristão e a Igreja no século XXI no último sábado, 6, na Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) da Vila Mariana, em SP, em evento promovido pelo Instituto dos Juristas Cristãos do Brasil (IJCB).

 Após a passagem pelo país em 2008, considerada como excelente, Ericsson outra vez considerou positiva a recepção de estudantes e profissionais. "Lá em Sorocaba [SP] eu falei com alguns alunos e alguns deles me enviaram e-mail dizendo que a minha palestra mudou a vida deles. Havia também um professor que foi bastante tocado pela minha palestra", disse o jurista .

"A chave de ser cristão não é a etiqueta que você coloca sobre você mesmo, mas a maneira como você vive", disse o professor, que em entrevista ao GUIA-ME.com.br avaliou a possibilidade de advogados cristãos utilizarem argumentos bíblicos, como de conversão, para defesa de réus. "Eu não concordo com esse pensamento. O fato de você ter mudado a sua vida é uma coisa boa, mas você ainda tem que pagar as consequências pelo crime que cometeu", afirmou Ericsson.

Baseados numa ética universal, os advogados cristãos e não-cristãos possuem como principal diferença, para o Doutor Gilberto Ribeiro - ex-presidente do IJCB e membro do Advocates International, a "fonte de inspiração". "O advogado cristão deve ter um chamado, e esse totalmente comprometido com a promoção da justiça com equidade e misericórida. Isso não se limita à mera e teórica observância a um regramento codificado, mas à própria essência e motivação que lhe assegure firme convicção de que está no centro da vontade de Deus, atuando como um agente de transformação", disse Gilberto.

"Jesus, Salomão ou Moisés - Alguém conhece alguém mais sábio?", indagou Ericsson que, em resposta ao silêncio, disse que é necessário analisar o que a Bíblia diz a respeito de Justiça sob o prisma da "regra dourada", presente na ética universal - "Faça aos outros o que você gostaria que fizessem a você mesmo resume a lei" (Mateus 7:12). Formado pela Universidade de Harvard (EUA), o professor salientou a importância de reconhecer em Deus determinadas circunstâncias da vida, como um convite que recebeu para ir a Moscou após 48 horas de desejar em estar na capital da Rússia.  

 "Eu sou muito internacional: Nasci na Suécia, me mudei para os Estados Unidos aos 18 anos, meu chapéu é australiano e minha gravata é chinesa", disse bem-humorado o professor que aproveitou a irreverência na vestimenta [uma gravata repleta de peixinhos] para refletir sobre ser cristão. "Tem um ditado americano que diz que se você sentar no banco de uma igreja não vai fazer de você um cristão. Da mesma forma que estar numa garagem não vai fazer de você um carro. O ponto básico é se você caminha da forma como você fala", disse Ericsson ao GUIAME.com.br .

Consciente do dever do advogado aliado à sua fé cristã, Gilberto analisa a profissão como um exercício missionário, não limitado a " interpretação e aplicação da letra da lei". "Entendemos que o IJCB pode ser uma fonte segura, uma reserva ético/moral para abençoar a nossa sociedade", refletiu.

Sem mencionar a denominação que faz parte, Samuel Ericsson enfatizou como preocupação principal ser testemunha de Jesus Cristo.  "Se eu tivesse falado que era católico apostólico romano, eles teriam algumas boas referências, como a Madre Teresa, e más referências. Eles iriam me dar uma etiqueta que eu não quero. A mesma coisa funciona com batistas, pentecostais. Eu digo que eu sou cristão, mas a denominação não importa", ponderou.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também