Joel Engel lembra como surgiu a Escola Profética, após avivamento no sul do Brasil

O pastor Joel Engel, fundador da Escola Profética, fala sobre o início do ministério e impacto pelo mundo.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 21 Agosto de 2018 as 5:16

Pastor Joel Engel durante missão na África, através do Projeto Daniel. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)
Pastor Joel Engel durante missão na África, através do Projeto Daniel. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

A Escola Profética atrai anualmente milhares de pessoas de todo o Brasil que buscam aprofundar seu relacionamento com Deus e viver um despertamento ministerial. Por trás da plataforma está o pastor Joel Engel, que viu seu ministério nascer através de uma experiência única há mais de 30 anos.

Em maio de 1987, após iniciar um propósito de oração para que houvesse um avivamento espiritual no Rio Grande do Sul, Engel teve a visão de uma bola de fogo caindo sobre Faxinal do Soturno, a cidade em que vivia.

Naquele instante, Engel foi acometido por dores intensas, que chamou de “dores de parto”. “Eu estava orando e senti dores de parto. Naquele momento senti que estava mergulhando na presença de Deus de uma forma muito intensa, acabando por ser arrebatado espiritualmente”, conta o pastor.

Depois da profunda experiência de Engel com Deus, 52 pessoas que participavam dos cultos ministrados por ele receberam o batismo com o Espírito Santo em suas casas, pois não havia culto naquela noite.

O avivamento naquela região impulsionou o nascimento da Escola Profética, cujo propósito era compartilhar a visão de oração 24/7 e promover um despertamento espiritual.

Dois dias depois, centenas de pessoas apareceram no pavilhão onde os cultos eram ministrados, orientadas por Deus a procurar o pastor Engel. Desde então, foi iniciado o primeiro grupo de oração 24/7 e a Escola Profética desempenhou o seu primeiro papel: despertar as pessoas para a intercessão.

“Lembro que na primeira aula da Escola Profética a unção era tão grande que eu não consegui falar, pois os alunos só pulavam, choravam e não paravam de orar”, lembra Engel.

Catch The Fire

Depois de alcançar pessoas em diversos países através da Escola Profética, Engel foi convidado em 1999 para ministrar na conferência Catch The Fire, realizada na igreja que estava vivendo o avivamento que ficou conhecido como “Bênção de Toronto”, no Canadá.


Joel Engel ministrando na Escola Profética para dezenas de líderes, em Santa Maria. (Foto: Ministério Engel)

Os pastores de Toronto entenderam que uma unção específica de Deus foi derramada no Rio Grande do Sul, mas acabou sendo rejeitada pelo Brasil. Por isso, em 2010, um grupo de canadenses veio ao Brasil para ministrar a volta desta unção por toda a nação.

“O Senhor me falou que haveria um mover muito grande a partir daquele momento em nosso País, pois eu deveria iniciar a ministração da unção e esperar pela ação do Espírito Santo”, conta Engel.

Tempo de seca

Enquanto o pastor percorria o país ministrando a restauração da unção e um avivamento espiritual, o Rio Grande do Sul foi acometido pela maior seca da história em 2011. No ano seguinte, a estiagem já havia se tornado a pior dos últimos 60 anos, com 145 municípios em estado de emergência e prejuízos bilionários no setor do agronegócio.

Em meio a crise, Joel foi orientado por Deus a ministrar sobre a unção de Elias na Escola Profética, nascendo assim a “Escola Profética Unção de Elias”, cujo objetivo era promover um avivamento sobre a Região Sul do país e pôr fim a seca que afligia o estado.

Nos anos seguintes, após dias intensos de intercessão e ministrações proféticas, o Rio Grande do Sul passou a experimentar recordes de chuvas. “Em 2013 as chuvas voltaram a cair sobre o Rio Grande do Sul e aconteceu o extraordinário de Deus, pois o estado passou a experimentar recordes e mais recordes de colheitas”, lembra Joel.

Em 2015, o estado atingiu o volume histórico de 15,19 milhões de toneladas em sua safra de soja. Os altos volumes de colheitas trouxeram grande prosperidade para os gaúchos e a fama de “profeta da chuva” para o presidente do Ministério Engel, pois por onde ele passava nuvens o acompanhavam.

Autoridades do Brasil e de diversos países do mundo passaram a requisitar a presença do profeta, com o objetivo de atrair chuvas para as regiões castigadas pela seca. Estes acontecimentos projetaram a Escola Profética para mais de 150 países do mundo.

veja também