Jonas Brothers no Brasil: 70 mil pessoas assistiram ao trio neste fim de semana

Jonas Brothers no Brasil: 70 mil pessoas assistiram ao trio neste fim de semana

Atualizado: Segunda-feira, 25 Maio de 2009 as 12

Rio de Janeiro (RJ)

No sábado, dia 23, a capital carioca recebeu os irmãos Nick, Kevin e Joe, na Praça da Apoteose. O trio, sensação entre adolescentes e pré-adolescentes, reuniu uma platéria familiar de aproximadamente 20 mil pessoas. Ao todo, foram 19 músicas em cerca de 1h20 de emoção e histeria por parte da platéia mirim.

Os pais se misturavam entre os gritos agudos dos adolescentes - meninas em sua maioria - cada vez que a imagem dos irmãos aparecia no telão. O som mecânico que antecedia o show era de clássicos do rock de grupos como The Who, Lynyrd Skynyrd e Thin Lizzy.

Escorados por uma banda de bons músicos e a participação de um naipe de metais e de duas violinistas, eles tocaram os hits consagrados em produções da Disney e canais infantis, mas fazem um espetáculo essencialmente rock. Enquanto Joe, com a voz mais forte, é o líder nato, Kevin toca guitarra o tempo todo e Nick - que, apesar de mais novo, viu o grupo ser montado à sua volta - se reveza em vários instrumentos.

A música inédita da noite foi "Paranoid", o novo single que deve puxar o próximo álbum do trio, "Lines, Vines And Trying Times", prestes a ser lançado. É outra que flerta com o novo rock, só que com sua fatia mais dançante, conectada aos anos 80. A platéia cantou várias das músicas, como "Hold On", "Play My Music" e "S.O.S.", já no bis. Os três voltaram ao palco com camisas número 10 da seleção brasileira e os respectivos nomes gravados nas costas. Antes do encerramento, apresentaram cada integrante em clima de premiação hollywoodiana. O público, ainda jovem, pode até não carregar esse show na memória, mas Nick, Joe e Kevin seguramente não irão se esquecer dessa noite.

São Paulo (SP)

No domingo, dia 24 de maio, foi a vez da capital paulista. Os irmãos apresentaram-se para um público de aproximadamente 45 mil pessoas no Estádio do Morumbi. Entre baladas e hits, o show durou pouco mais de uma hora. Apresentação teve direito a acrobacias, piadinhas e até Joe se jogando no meio da galera.

Os irmãos pareciam se divertir muito com a apresentação em São Paulo. Além dos habituais "obrigado", "oi" e "San Paolo!" em português e de Joe balançando uma bandeira do Brasil em pé sobre o piano, Nick disse que aquele era "um dos nossos maiores shows. Vocês são os melhores fãs no mundo". O tamanho público também impressionou os irmãos, que chegaram a fazer um post no twitter após o show comemorando a marca.

O show é preciso todo o tempo - além da banda de acompanhamento afiada, o cronômetro funciona perfeitamente: foram 19 músicas em uma hora e quinze minutos. O trio subiu ao palco com quinze minutos de atraso, às 19h45, e às 21h01 as luzes do Morumbi se acendiam logo após o fim de "SOS", segunda música do bis e última do show. Ao fim, o resumo mais simples veio da boca de Joe, já no bis: "Brasil, nós te amamos", disse. Não precisava esperar resposta - em meio às lágrimas e gritos das fãs, era fácil ver que o Brasil ama os Jonas Brothers também.

Brothers cristãos

Apesar de ter estourado no mercado de música "secular", os Jonas Brothers demonstram de forma clara sua fé em Jesus Cristo.

Os três jovens, que são filhos de um pastor protestante, têm uma postura bem diferente de outros astros da música pop. Ao invés de se envolverem em polêmicas ou confusões, os músicos, que já venderam mais de 10 milhões de álbuns e viajam em um jatinho particular, ainda moram com os pais.

Outro sinal da influência cristã em suas vidas pode ser visto nos dedos deles, eles usam anéis que indicam que manterão a virgindade até o casamento.

Além disso, cantam músicas como "Dear God" (Querido Deus, em tradução livre) e "Joy To The World" (uma canção de Natal muito conhecida).

"Nós somos cristãos e nossa fé é realmente importante para nós. É algo muito importante em tudo o que fazemos", explicou a banda em uma entrevista ao site do jornal britânico Telegraph.

veja também