Jovem adventista recusa contrato com o Benfica e lança livro no Unasp

Jovem adventista recusa contrato com o Benfica e lança livro no Unasp

Atualizado: Terça-feira, 23 Agosto de 2011 as 10:38

O aluno de administração do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp) campus Engenheiro Coelho, Ricardo Vieira (conhecido como Mabola), lançou no dia 14 de agosto, na igreja do Unasp, o livro “Mabola – uma história africana”.

Autobiográfico, é também um relato de sua conversão com detalhes de como encontrou o cristianismo e abandonou as práticas pagãs da religião que a família seguia. Entre as narrativas que mais chamam atenção está o fato de ter ele recusado um promissor contrato com o Benfica, um dos mais tradicionais clubes do futebol europeu.

Durante o lançamento, Ricardo lembrou momentos de sua trajetória antes de obter contato com uma igreja cristã, quando ainda vivia em meio aos rituais pagãos, costume da sua família. “Eu sabia que existia um Deus, mas não sabia como entrar em contato com esse Deus, não conhecia o evangelho”, lembra.

Dificuldades e perdas marcaram a vida do rapaz. Ainda aos 12 anos sofreu a morte da mãe que não resistiu às complicações de um acidente. A prisão do pai dificultou ainda mais a situação da família. Ricardo percebeu que teria que buscar o sustento da casa e esse fato o aproximou do futebol.

Passou a insistir no esporte como forma de conseguir algum dinheiro. O talento para jogar o proporcionou a oportunidade de alcançar uma vaga na seleção de Guiné-Bissau. A partir dessa experiência surgiu o convite para atuar no Benfica de Portugal, mas já convertido, Mabola optou por ser pregador leigo ao invés de seguir a carreira de atleta.

Segundo as palavras do professor Valdecir Lima, no prefácio do livro, a trajetória de Mabola é uma evidência de um cuidado sobrenatural. “Sua história tornou-se um caldeirão de acontecimentos através do qual a providência lentamente o fez descobrir o caminho que o libertaria das influências animistas e o levaria à liberdade espiritual na sua vida que só a verdade poderia proporcionar”, explica.

O projeto do livro demorou quatro anos para ser concretizado.  Mabola planeja, a partir de agora, utilizá-lo como ferramenta de evangelização, visitando igrejas levando o seu testemunho verbal e escrito a respeito das mudanças que Deus efetuou na sua vida. Acredita que a proposta do livro facilita o contato com aqueles que eventualmente possuam algum preconceito contra a religião.  Para ele, o livro possui a capacidade de entrar em qualquer lugar e sua experiência pode ajudar outros jovens a se aproximarem de Deus. “Quando a gente busca a Deus ele nunca fica longe da gente,” enfatiza.

veja também