Jovem cristão é assassinado e decapitado por extremistas na Somália

Jovem cristão é assassinado e decapitado por extremistas na Somália

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:23

nasceu com vocação para ser uma morada democrática. Projetado em 1952 e inaugurado em 1966, atiça até hoje o desejo dos aficionados da arquitetura de Oscar Niemeyer, autor do projeto desenvolvido pelo também arquiteto paulista Carlos Lemos. A enorme onda que desponta no finalzinho da rua da Consolação abriga 1160 unidades divididas em seus blocos. Ali estão quitinetes e apartamentos de um, dois e três dormitórios. De acordo com Sérgio Ambrósio, da administração do edifício, estão disponíveis duas unidades para venda e duas para aluguel. Em média, os apartamentos de um dormitório custam R$ 240 mil e os de três R$ 600 mil. Militantes extremistas islâmicos do Al Shabaab decapitaram um jovem cristão de 17 anos na Somália, perto da cidade de Mogadíscio, segundo informações de um jornalista que trabalha na capital e relatou à Compass.

Os militantes do Al Shabaab prometeram livrar a Somália do cristianismo e mataram Guled Jama Muktar, em 25 de setembro em sua casa, a cerca de 20 quilômetros de Mogadíscio. O grupo acompanhava cada passo da família desde que eles se mudaram do Quênia para a Somália, em 2008.

Os militantes islâmicos estão lutando contra o governo de transição, para que possam ter o controle do país, e por isso atacam os cristãos e suas famílias, como nesse caso da família do jovem Guled.

Com base em conversas com os pais do jovem e seus vizinhos, uma fonte disse que os membros do Al Shabaab chegaram à casa de Guled às 6 da manhã, quando seus pais, que não foram identificados por segurança, estavam trabalhando em seu comércio.

Os extremistas encontraram Guled quando ele se preparava para ir para a escola. “Os vizinhos ouviram gritos vindos da casa, que pararam rapidamente”, disse a fonte. “Depois de um tempo, viram um carro branco deixando o local.”

Os vizinhos avisaram aos pais, que imediatamente voltaram para sua casa. Eles enterraram o corpo do filho rapidamente, temendo que os militantes pudessem matá-los. E, depois, fugiram para um destino desconhecido.

“Quando o incidente aconteceu, os pais dele me ligaram para dizer que seu filho havia sido morto e que eles temiam por suas vidas”, disse a fonte.  “Desde então, não tenho mais notícias deles.”

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições