Jovem se especializa em Libras para ajudar surdos na igreja: "Deus é quem chama e capacita"

Anna começou a traduzir as pregações do culto de forma improvisada e depois foi apoiada pela igreja e por sua família para se especializar em Libras.

fonte: Guiame, com informações do site Notícias Adventistas

Atualizado: Quarta-feira, 1 Março de 2017 as 1:27

Segundo dados do IBGE, estima-se que no Brasil haja 9,7 milhões de pessoas surdas. (Foto: ASN).
Segundo dados do IBGE, estima-se que no Brasil haja 9,7 milhões de pessoas surdas. (Foto: ASN).

Anna Paula Sá é uma jovem que prontamente atendeu ao chamado do Senhor. Ela se congrega em uma igreja que conta com 18 membros surdos. Hoje, Anna é especializada em Libras, para dar um melhor suporte a esses membros. Mas, sua jornada começou em 2007, com a chegada da primeira deficiente auditiva.

A igreja fica na cidade de Grajaú, região sul do Maranhão. A congregação apoia a inclusão social por meio da persistência de Anna, que é administradora e sentiu que deveria ser capacitada para servir como intérprete durante dos cultos.

Segundo dados do IBGE, divulgados em 2010, estima-se que no Brasil haja 9,7 milhões de pessoas surdas. Essa informação despertou a preocupação e o interesse da Igreja Adventista, que vem atentando para esse público e oferece maneiras de facilitar o entendimento da Bíblia por meio de materiais como livros missionários, guias de capacitação para voluntários, Clube de Jovens, Pequenos Grupos e Calebes Surdos.

O chamado de Deus

Foi em 2007 quando a surda Áurea Moreira dos Santos Arruda chegou em Grajaú. Então, Anna sentiu que deveria ajudar. Mesmo de uma forma improvisada, ela tentava traduzir as pregações. A partir disso, outros surdos souberam que naquela igreja havia uma intérprete e passaram a frequentá-la.

Anna disse que quando via os surdos sinalizando que entenderam tudo, no final do culto, ficava impressionada, pois ela não entendia como era capaz. Ela nunca havia feito nenhum curso. “Foi aí que entendi que recebi de Deus esse dom espiritual”, lembrou.

“Comecei sem grandes pretensões. O que aconteceu foi um milagre. O Deus que chama é o mesmo que capacita. Quando vejo todos eles envolvidos, me sinto feliz e grata. Temos que dizer como Isaías ‘Eis-me aqui, envia-me a mim’”, diz a administradora que foi apoiada pela igreja e sua família a ingressar numa pós-graduação em Libras.

Hoje, Anna é especialidade e motiva os surdos a desenvolver também a linguagem dos sinais. Áurea, uma das beneficiadas pelo trabalho de Anna, diz: “Nos sentimos amados quando observamos que os demais estão se esforçando para aprender e assim podermos conversar”, disse.

veja também