Jovens cristãos participam de programa de liderança política da ONU

Jovens cristãos participam de programa de liderança política da ONU

Atualizado: Sexta-feira, 17 Junho de 2011 as 9:22

Nesta semana, um grupo de cristãos estava celebrando a formatura em um premiado programa de desenvolvimento de liderança da ONU.

Hazel Blears, Iain Duncan Smith e Margaret Hodge estavam entre os deputados que orientaram os alunos do Fórum Religioso de Graduação por Mentores do Parlamento (Undergraduate ParliaMentors -UP).

O programa UP foi lançado em 2007 para ajudar a construir melhores relações entre pessoas de diferentes credos e construir uma rede de novos líderes que possam trabalhar juntos em questões políticas e sociais.

Os alunos aprenderam sobre o funcionamento interno da política, participando de debates e reuniões, bem como em rede de responsáveis políticos a eventos exclusivos no Parlamento.

Eles também trabalharam juntos utilizando a fé para desenvolver ação social e serem capacitados para criação de projetos solucionadores de questões como tráfico de seres humanos e a pobreza educacional.

John Bercow MP, presidente da Câmara, disse que o objetivo do programa é incentivar os jovens de todas as crenças a aprenderem sobre liderança e boa cidadania.

"Tenho certeza que muitos dos jovens que participam desse projeto irão para uma grande carreira na política e em outros lugares, fazendo um excelente uso dos valores e habilidades que este esquema tem ajudado a desenvolver", disse ele.

O cristão Andrei Constantin foi um dos formandos na cerimônia da última terça-feira (14) na Câmara. Ele disse que tinha feito uma boa amizade com pessoas de diferentes crenças através do trabalho conjunto nos vários projetos.

Ruth Grayston, formada também na UP e estudante na Universidade de Manchester, disse que o programa tinha lhe dado a oportunidade de trabalhar com pessoas de diferentes crenças em um ambiente onde "fazer perguntas sobre as nossas diferenças era bem-vindo".

"Um trio dentre os meus colegas no programa veio à minha igreja no domingo. Este projeto realmente constrói pontes", disse ela.

"Isso prova que religião e política podem se unir para promover harmonia social e compreensão ao fazer uma contribuição positiva à sociedade", completa a estudante.

veja também