Jovens debatem sobre desafios para o século XXI

Jovens debatem sobre desafios para o século XXI

Atualizado: Sexta-feira, 17 Dezembro de 2010 as 8:29

Uma palestra sobre "os desafios da juventude no século XXI" dominou nesta quinta-feira, 16/12, na província do Huambo (Angola), o segundo dia da conferência nacional da juventude que congrega jovens da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA) e de partidos políticos com assento parlamentar.

A palestra foi orientada pelo consultor Jorge Cabinda e contou com a participação de mais de 200 participantes.

Na oportunidade, o palestra disse que a juventude é a camada mais fácil de ser influenciada pelo passado, pois "é uma etapa de transição da infância para idade adulta, dependendo somente do seu estado espiritual”.

Jorge Cabinda adiantou, por outro lado, que "esta fase da vida traz um grande desafio para a sociedade, razão pela qual os jovens devem ser bem orientados para evitar frustrações futuras.

“Temos milhões de jovem que vivem numa alucinação, porque a sociedade não lhes dá oportunidade para implementação dos seus sonhos e que ainda sofrem descriminação política, social, económica, religiosa e cultural e acabam por se envergonhar até com seu próprio nome”, adiantou.

Apelou à camada juvenil a ter competência para conseguir emprego, que resulta do desenvolvimento da competência e a capacidade de analisar o que é importante ou não para vida.

O também mestre em economia pela Universidade Politécnica de Madrid (Espanha) encorajou a juventude para que comece a investigar e por em mente as coisas mais importantes da vida, dando mais tempo na leitura, a ver e a ouvir notícias, em vez de telenovelas.

“Na televisão as coisas menos úteis são apresentadas em horas de maior audiência e as de maior impacto social e académico passam nas horas em que maior parte da juventude está a descansar, repondo as energias perdidas durante o dia, apesar de ser uma camada com bastante adrenalina”, lamentou.

Reconheceu que os meios da comunicação social são os únicos com competência poderosa de tornarem a juventude com uma só cultura e reduzindo os riscos de vida, que passam pelo uso de droga, prática de violência.

A conferência está a abordar, entre outros assuntos, a “liderança feminina no desenvolvimento do país”, “exercício da convenção a nível do município”, “ a influência da média na juventude” e “ a juventude face à epidemia do HIV/Sida”.

Temas como o “investimento educacional da juventude na inclusão do contexto”, “comunicação social na expansão do evangelho”, “ comunicação à luz da Bíblia e como trampolim para grandes conquistas”, consta ainda do programa do evento que termina sexta-feira.

O conclave está ser presenciado pelo secretário-geral da IECA, Augusto Tchipesse, e do Conselho de Igrejas Cristãs em Angola (CICA), revendo Luís Guimbi.

veja também