Justiça condena cristãos por “atividade religiosa ilegal”, após conversão de muçulmanos

Os cristãos foram multados em mais de mil dólares, um valor que gira em torno de 6.500 reais.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Sábado, 3 Março de 2018 as 10:33

Imagem ilustrativa. Eles também foram proibidos de se reunirem para orar e adorar a Deus. (Foto: Reprodução).
Imagem ilustrativa. Eles também foram proibidos de se reunirem para orar e adorar a Deus. (Foto: Reprodução).

Muçulmanos que se converteram ao cristianismo continuam sendo forte alvo de perseguição religiosa. Em uma pequena cidade de um país da Ásia Central, as investidas contra aqueles que creem em Jesus está crescendo cada vez mais.

O motivo é exatamente o fato das autoridades tiveram conhecimento que um grupo de muçulmanos da cidade se converteu a Jesus. Houve então uma audiência no dia 19 de fevereiro e três líderes do grupo de cristãos foram considerados culpados de “atividade religiosa ilegal”.

Como punição, eles foram multados em mais de mil dólares. O valor gira em torno de 6.500 reais. Vale ressaltar que a média salarial na cidade é de 150 dólares (ou seja, aproximadamente 487 reais) por mês.

Entende-se que o valor dessa multa é alto demais para os cristãos condenados. Já no dia seguinte, 20 de fevereiro, a polícia alertou que os cristãos deveriam interromper toda e qualquer reunião.

Caso eles voltassem a se reunir, seria aberto uma queixa contra eles. Por esse motivo, os cristãos da cidade se uniram para realizar oração e jejum durante três dias. A causa está sendo abraçada por todos os cristãos da região.

Segundo a Portas Abertas, os cristãos locais pedem que nos unamos em oração. Eles pedem para que haja intercessão pela segurança e para que possam praticar a fé normalmente, como em outros países onde há liberdade religiosa.

“Ore para que esses cristãos perseguidos tenham liberdade para orar, adorar, ter uma Bíblia e outros materiais cristãos e também se reunir como corpo de Cristo e pregar o Evangelho”, salienta a Portas Abertas. “Interceda também para que as autoridades sejam tolerantes com os cristãos, principalmente os ex-muçulmanos”, finaliza.

veja também