Juventude batistas formulam carta para maior participação social

Juventude batistas formulam carta para maior participação social

Atualizado: Quarta-feira, 9 Fevereiro de 2011 as 2:13

No dia 20 de janeiro mais de 200 jovens se reuniram na Igreja Batista da Orla, em Niterói, para tomarem parte do primeiro Fórum de Juventude promovido pela Juventude Batista Brasileira, e cujo tema foi “Realidades Juvenis”.

Neste evento, os presentes puderam refletir sobre as múltiplas realidades, diversas demandas e desafiadores problemas sociais que envolvem a juventude brasileira na contemporaneidade.

Contudo, o evento não ficou apenas no debate de ideias, mas assumiu um caráter propositivo com a formulação de intenções para que a juventude batista brasileira tenha uma maior participação social. Veja abaixo quais as propostas e encaminhamentos assumidos pela Juventude Batista Brasileira nesta oportunidade.

Fórum da juventude, propostas e encaminhamentos 1) Produzir material didático (vídeo, textos, livros, entre outros) referente à temática Juventude e Políticas Públicas, acessível a todos e todas para a conscientização e empoderamento dos jovens batistas do Brasil; 2) Auxiliar a juventude das igrejas locais a desenvolverem: - Cursos preparatórios para voluntariado nas igrejas,

- Estratégias de intervenção sobre as demandas do território onde se encontram,

- Projetos de evangelização através de esporte, artes, música, entre outras iniciativas,

- Articulações com instituições e conselhos de educação, segurança pública, saúde, assistência social, justiça e direitos humanos para a promoção de ações de cidadania que visem atender integralmente às necessidades mais relevantes da comunidade em que estão inseridas; 3) Estimular o engajamento e participação dos jovens batistas no estabelecimento, proposição, implantação e avaliação de políticas públicas de juventude em nível local e nacional por meio de conselhos, fóruns e outros eventos e atividades concernentes; 4)  Participar no processo de conscientização da juventude, para que percebam sua força e potencial transformador, bem como os recursos, meios e instrumentos disponíveis no poder público para que tenham uma atuação mais eficaz nas suas respectivas comunidades; 5) Apoiar ações de mobilização da juventude batista em espaços públicos de forma orquestrada por região, de maneira que alcance visibilidade midiática, referente a temas como desigualdade social, uso de drogas, extermínio da juventude, entre outros; 6) Solicitar ao conselho da Convenção Batista Brasileira uma palavra oficial sobre o atual modelo de desenvolvimento econômico brasileiro, desigual, injusto e responsável pela degradação sócio-ambiental que compromete a sustentabilidade dos sistemas de suporte à vida (água, ar, solo, etc), e da vida humana em todas as suas dimensões; 7) Realizar Conferências Livres, em todas as regiões do Brasil, para encaminhar as propostas da Juventude Batista Brasileira, por meio deste amplo processo participativo e democrático, para a II Conferência Nacional de Juventude, que delibera sobre as políticas públicas de juventude no Brasil; 8) Realizar um seminário sobre Políticas Públicas de Juventude em parceria com outras organizações de juventude evangélicas para discussão sobre a participação da juventude evangélica neste campo e também para fortalecer a articulação entre esses grupos; 9) Aproximar-se de ONGs, movimentos juvenis e instituições públicas para estabelecer parcerias visando a criação e/ou fortalecimento de projetos sociais de intervenção nas mais diversas realidades juvenis; 10) Estabelecer frentes de trabalho e projetos, na perspectiva da Missão Integral, com as Juntas de Missões da Convenção Batista Brasileira; 11) Realizar pesquisa nacional cujo objeto seja as Realidades Juvenis do ponto de vista dos jovens das diferes regiões, contextos, gêneros, classes sociais, em parceira com universidades.

Juventude Batista Brasileira,

Niterói, 20 de Janeiro de 2011.  

veja também