Kaliba reúne vertentes da Black Music na Igreja Pedra Viva

Kaliba reúne vertentes da Black Music na Igreja Pedra Viva

Atualizado: Quarta-feira, 25 Junho de 2008 as 12

Da Redação

Fazer um ''mix'' dos vários estilos que constituem a Black Music de um modo geral. Essa foi a intenção do Guitarrista Kaliba, na noite da última segunda-feira, 23 de junho, na Igreja Pedra Viva, em São Paulo. Entre convidados que marcaram presença na noite - subindo ao palco ou simplesmente prestigiando - estiveram nomes como Coral Resgate, Michael McCurtis, Sérgio Saas (Raiz Coral), William Magalhães (Black Rio) e Izzy Gordon.

As músicas apresentadas no evento fizeram uma passagem por gerações da música Black, lembrando desde as antigas igrejas da Filadélfia (EUA) e chegando até os dias atuais, com as variações do estilo musical no Brasil. Entre as novidades preparadas pelo cantor para a noite, estava um novo conjunto de instrumentos de sopro. ''Hoje eu tenho uma novidade. Estou com um timbre novo de metais na minha cabeça, que é um timbre que os músicos da Filadélfia usam. Uma coisa mais com trombone, saxofone tenor e flauta transversal. É o que vai ter hoje aí. Essa formação de metais ardendo tudo!''.

Quebra de barreiras

Artistas do meio gospel e secular pretigiaram a apresentação de Kaliba na Pedra Viva, o que se constituiu como a realização de um sonho para o guitarrista. ''Nós temos muitos músicos que vão tocar na nossa igreja, vão tocar no meio secular e acabam sendo influenciados por mulheres, bebidas e drogas. Hoje, eu quero fazer o contrário aqui. Eu quero que as pessoas do meio secular sejam influenciadas por nós hoje. A idéia é de evangelizá-los'', declarou o músico.

A aceitação do trabalho de Kaliba entre os artistas seculares já pode ser vista pelo depoimento do carioca William Magalhães, fundador do grupo Black Rio. ''Eu já conheço o trabalho do Kaliba por meio de discos e é a primeira vez que eu venho a um show dele, mas já ouvi muitos elogios sobre a importância do que está acontecendo aqui. Acho que para a música Black isso é muito importante. É muito bacana poder prestigiar e conhecer o local'', afirmou William e ainda completou: ''Isso é algo que não rola muito no Rio de Janeiro, não se tem menção de um espetáculo como este. Da década de 90 para cá, São Paulo assumiu uma posição de destaque na Black Music, revelando vários grandes talentos''.

De volta às raízes

Durante a apresentação, Kaliba convocou o pianista e cantor Michael McCurtis a participar do show, conduzindo algumas músicas que seguiam o antigo estilo black da Filadélfia. Lotada, a igreja pôde louvar com suas vozes e palmas. Esse clima se completou quando o Coral Resgate subiu ao palco e seguiu a mesma linha de McCurtis.

veja também