Lei sharia será implementada nesta segunda-feira no Paquistão

Lei sharia será implementada nesta segunda-feira no Paquistão

Atualizado: Terça-feira, 17 Março de 2009 as 12

PAQUISTÃO - Faltam somente a assinatura do presidente Zardari para que a lei Sharia seja implementada. Dois tribunais administrarão judicialmente Makaland, e as milícias do Talibã irão governar a região. As mulheres serão as primeiras a sofrerem e muitas escolas para meninas serão fechadas.

A sharia é a estrutura legal dentro do qual os aspectos públicos e privados da vida do adepto do islamismo são regulados. Ela lida com diversos aspectos da vida cotidiana, como: política, economia, bancos, negócios, contratos, família, sexualidade, higiene e questões sociais.

O governo da província da Fronteira Noroeste do Paquistão anunciou que a sharia entrará em vigor na próxima segunda-feira em Makaland, assim que o presidente Zardari assinar a lei. De agora em diante, dois tribunais sharia adminstrarão a região: Darul Qaza e Darul-Darul Qaza. Os juízes serão nomeados pelo tribunal superior.

O acordo que possibilitou a entrada da lei sharia na área também requer que as milícias locais do Talibã, Tehreek-i-Nafaz-i-Shariat-i-Muhammadi, governe com violência em Swat.

As minorias religiosas, incluindo os cristãos e os grupos de direitos humanos, estão muito preocupados com a decisão do governo, que entrega, efetivamente, toda a região nas mãos das milícias.

As mulheres, que já são vítimas de discriminação e exclusão na sociedade, serão as primeiras a sofrer com a aplicação da sharia.

As meninas também correm o risco de perder o direito de estudar. Desde o início da campanha militar do Talibã em 2007, 168 escolas foram atacadas, incluindo 104 escolas para meninas. Outras 400 escolas particulares podem ser fechadas.

Tradução: Deborah Stafussi

veja também