Léo Lima retoma boa forma e agradece a Deus

Léo Lima retoma boa forma e agradece a Deus

Atualizado: Terça-feira, 23 Março de 2010 as 12

O jogo contra o Nacional paraguaio acabou às 23h23 da quinta-feira. Ontem, dia 22, às 10h, Léo Lima já estava em pé para ir à igreja evangélica que frequenta no bairro da Lapa. Depois de começar como titular na partida da Libertadores, marcar um gol e mostrar um bom futebol, ele não poderia deixar de agradecer. Encontrar a direção de Deus, como gosta de dizer, salvou sua carreira. "Se eu não tivesse mudado a minha vida, estaria jogando em uma equipe pequena hoje. Encontrar Deus foi o grande salto da minha vida".

O caminho errado que insistia em seguir, Léo Lima revelou em entrevista exclusiva. Até junho do ano passado, o jogador de 28 anos levava uma vida incompatível com a de um jogador profissional. A mudança começou depois que ele foi deixado de lado pelo técnico Dorival Júnior no Vasco, em uma repetição do que acontecera em tantos outros clubes pelos quais havia passado anteriormente.

"Minha família era cristã, meu pai, minha mãe, minha sogra... Eu frequentava, mas não era assíduo, ía um dia, dois, depois não ía mais. No ano passado, quando estava no Vasco, decidi encontrar Deus e largar tudo, noitadas, bebidas, e isso me fez muito bem", contou o jogador.

Desde então, Léo Lima garante que não colocou mais uma única gota de álcool na boca. Ele também parou de passar noites sem dormir, como era comum no passado. "Eu pensei que não iria aguentar, mas Deus é tão maravilhoso que fez com que eu aguentasse, não cometesse os mesmos erros, porque para jogador é sempre mais fácil".

Ele hoje até ri ao falar do assunto: "Nas férias, com meus familiares, nós fizemos churrascos, todo mundo bebendo e eu só no refrigerante e no mate. O engraçado é que não me dá mais vontade de beber".

A mudança de postura fora de campo, claro, provocou um crescimento dentro das quatro linhas. No ano passado, Léo Lima fez um ótimo Campeonato Brasileiro pelo Goiás e acabou despertando o interesse dos dirigentes do São Paulo. O clube ofereceu um contrato de três anos, algo que, para o jogador, só pode ter sido um presente divino.

"Deus me deu essa oportunidade e não posso desperdiçá-la", comentou o jogador. "Os meus contratos eram sempre de um ano, as pessoas me contestavam, o Léo é isso, o Léo é aquilo. Mas Deus fez eu ter um encontro com ele no ano passado e hoje estou aqui no São Paulo. Agora espero corresponder, não posso ficar acomodado. Eu preciso lutar, matar um leão por dia porque o grupo é grande, bom...".

veja também