Líder Internacional de Liberdade Religiosa participa simpósio

Líder Internacional de Liberdade Religiosa participa simpósio

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2011 as 12:07

O Líder da Associação Internacional de Liberdade Religiosa, Dr. John Graz está no Brasil com o objetivo de promover a democratização da Liberdade Religiosa e mostrar a necessidade de fazer amigos de outras religiões e políticos, a fim de conseguir um bem comum. “A liberdade de expressão é um direito de todo ser humano. Este mesmo recurso legal dá o suporte para que o cidadão tenha o livre arbítrio de unir-se a uma igreja e conseguir no trabalho, por exemplo, um dia da semana para se dedicar à sua crença, ou então, o de realizar provas e concursos públicos em momentos que não interfiram nos seus princípios religiosos”, afirma o Dr. John Graz.

Dr. Graz participou de vários encontros e fóruns em que esteve presente com a finalidade de estreitar os laços com órgãos públicos e privados. Na reunião com o presidente e conselheiros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), dia 17, foi consolidado a importância do apoio que o Órgão oferece nesta luta. “O Estado do Brasil é laico, ou seja, se mantém neutro à constituição livre das diversas igrejas. Mas, isso não significa que temos que deixar de expor as nossas crenças. As manifestações religiosas não podem ser proibidas, desde que não interfira no direito humano do próximo”, aponta Dr. Luiz Flávio D’Urso, presidente da OAB-SP.

Durante o encontro, a Dra. Damaris Moura, presidente da Comissão de Liberdade Religiosa e Cidadania da OAB-SP, enfatizou o seu comprometimento com a questão da Liberdade Religiosa. “Apesar de enfrentarmos muitos desafios, estamos sempre alertas a fim de trabalharmos com a questão da liberdade para todas as religiões”, ressalta Damaris. Anunciando sua parceria com a OAB, o Dr. Alcides Coimbra declarou: “Como líder da Liberdade Religiosa no Estado de São Paulo estamos atentos o tempo inteiro não somente à questão da Liberdade Religiosa, mas, em busca do bem comum”.

A agenda do Dr. John Graz teve sequência no dia 19, na Assembleia Legislativa, onde os líderes religiosos debateram sobre o assunto. “Infelizmente muitos usam a religião para fazer o que querem, guerrear, matar entre outras tantas atrocidades. Mas, o indivíduo tem uma religião que contribui para uma formação íntegra pessoal, vemos que todos precisam conhecer mais um sobre o outro e respeitar, não somente tolerar. É importante respeitar sem ferir o direito de vida e crença do próximo”, explica a Dra. Luciana Cury, advogada.

Ao se pronunciar na Assembleia, o líder da Associação de Liberdade Religiosa para a América do Sul, pastor Edson Rosa afirmou: “Respeitar o outro é também aceitar o direito que este tem de escolher em que ele quer acreditar, quando a pessoa perde o direito de professar a liberdade religiosa, ele também perde o direito básico do ser humano que está contido na liberdade de expressão.”

veja também