Líderes cristãos pressionam Obama pelas políticas de fome e pobreza

Líderes cristãos pressionam Obama pelas políticas de fome e pobreza

Atualizado: Quinta-feira, 4 Novembro de 2010 as 3:14

Conhecidos Líderes Cristãos dos EUA se encontraram com o presidente Obama na segunda-feira para pressioná-lo a tomar uma posição mais firme em relação à pobreza e a fome.

Milhões de americanos estão com dificuldades para encontrar um emprego, pagar contas e colocar comida na mesa, em meio à crise econômica, destacou a delegação, que incluiu os líderes da Igreja Church World Service e do Conselho Nacional de Igrejas (NCC). Embora muitos dos grupos presentes na reunião estejam ajudando a fornecer alimento e assistência aos afetados pelos difíceis tempos econômicos, mais precisa ser feito, afirmaram eles.

"Da mesma forma que as famílias nos EUA encontram seus orçamentos domésticos cada vez mais apertados, as famílias no mundo em desenvolvimento estão sofrendo também," disse o reverendo John McCullough, diretor e chefe executivo da CWS. "Hoje, nós pedimos para a liderança do Presidente a elaboração de políticas que garantam a homens, mulheres e crianças o acesso a uma alimentação suficiente e nutrição adequada para todos, principalmente as crianças, bem como políticas que apoiem a produção sustentável e diversificada de alimentos."

O presidente, segundo McCullough, foi "caloroso, simpático e receptivo" com a delegação e as questões que eles levantaram. O líder da CWS disse que o grupo deixou a reunião satisfeito com a aparente "vontade de Obama de trabalhar em parceria para encontrar maneiras criativas" para resolver os problemas.

Além de falar sobre a fome e a pobreza, o grupo também expressou preocupações sobre a relação entre pobreza e educação, o conflito israelo-palestino, a situação dos Cristãos no Oriente Médio, e restrições de viagem às organizações religiosas nacionais que querem trabalhar em Cuba.

As atuais restrições de viagem, que só permitem que as organizações religiosas e os membros de sua denominações viagem à Cuba uma vez por trimestre, dificultam a missão das organizações religiosas de apoio e parceria com as Igrejas em Cuba.

McCullough, disse que o presidente "parece muito receptivo ao aprofundamento do diálogo" sobre viagens religiosas para Cuba. A administração de Obama pode abordar as restrições de viagem, sem aprovação do Congresso, observou a delegação.

Outros membros da delegação incluíram o bispo Mark Hanson, da Igreja Evangélica Luterana na América, o Reverendo Sharon Watkins, da Igreja Cristã (Discípulos de Cristo) e Bispo Presidente Katharine Jefferts Schori da Igreja Episcopal, entre outros.

veja também