Líderes querem 'mocinhas evangélicas' em novelas da Globo

Líderes querem 'mocinhas evangélicas' em novelas da Globo

Atualizado: Segunda-feira, 7 Janeiro de 2013 as 3:27

 

Silas Malafaia e Robson Rodovalho têm sido os dois principais representantes dos evangélicos nas reuniões com diretores da Rede Globo.
 
O pastor e o bispo acreditam que está na hora de a emissora investir em personagens evangélicos na teledramaturgia, até em alguma mocinha do horário nobre.
 
No início de 2012, a Folha chegou a sondar um diretor-geral da Globo, que fugiu do assunto.
 
No mesmo ano, a emissora exibiu as personagens Ivone (Kika Kalache), de "Cheias de Charme", e Dolores (Paula Burlamaqui), de "Avenida Brasil". As duas foram muito criticas pelo público evangélico por mostrar algo que não é a realidade do dia a dia de uma mulher evangélica.
 
A coautora de 'Cheias de Charme' relata que não teve nenhuma orientação para criar a personagem.
 
No Projac, segundo a assessoria da Globo, os religiosos "manifestaram o interesse em falar sobre o perfil atual do evangélico brasileiro para autores e roteiristas".
 
"A emissora considera a contribuição relevante, assim como as que recebe de vários segmentos da sociedade, inclusive de outras religiões", informou a Globo em nota.
 
Procurados pela Folha, alguns autores da Globo se recusaram falar sobre o assunto. Silvio de Abreu disse que nunca tratou personagens religiosos e não pretende fazê-lo.
 
Os líderes comentam que outras religiões têm mais destaque na emissora. E, se há personagens evangélicos, "é crente, mas vagabundo. É pastor, mas safado", alfineta Malafaia.
 
 
com informações da Folha
 

veja também