Livro missionário leva ao batismo família do interior paulista

Livro missionário leva ao batismo família do interior paulista

Atualizado: Terça-feira, 1 Fevereiro de 2011 as 10:51

O batismo de seis pessoas na Igreja de Agapeama, em Jundiaí, SP, no sábado, 29 de janeiro, é mais uma evidência dos milagres que acontecem quando pessoas sedentas pelo evangelho encontram as respostas para suas dúvidas espirituais na leitura de um livro. Foi assim com a família Castelli. Em emocionante cerimônia, eles foram batizados pelo pastor local, Robson Menezes, e pelo pastor José Carlos de Lima, diretor-geral da Casa Publicadora Brasileira, editora que publica os livros missionários da Igreja Adventista.  

A história começou em 2009, quando um colportor adventista (vendedor de livros religiosos), andando por uma região comercial da cidade, entrou no estabelecimento em que Dayse Castelli trabalha e lhe vendeu o livro Sinais de Esperança. A cada abordagem, o colportor oferecia o livro e deixava a pessoa à vontade para pagar o valor que quisesse pela obra. Dessa maneira, ele conseguia recursos para comprar mais exemplares e distribuí-los.

  Dayse confessa que não se interessou muito pelo livro, mas comprou para ajudar o colportor. Mal ela sabia que sua família seria a mais beneficiada com aquela aquisição. Dayse não gostava muito de ler, especialmente obras sobre religião. Além disso, estava afastada da igreja evangélica que frequentava. No entanto pegou o livro e o levou para casa.  

Sidnei e Gildete Castelli foram batizados pelos pastores Robson Menezes e José Carlos de LimaDias depois, ao conversar com o irmão André e a cunhada Gleise, que procuravam há meses respostas sobre as doutrinas sobre o sábado e o santuário, Dayse se lembrou do livro e o emprestou ao irmão. André leu a obra em pouco tempo e ficou maravilhado com o que descobriu. O interesse dele pelo tema, o levou a sabatinar o pai, Sidnei, um missionário voluntário de outra igreja evangélica. Agora, ambos estavam intrigados e saíram a perguntar para alguns pastores evangélicos sobre a veracidade daquelas doutrinas.  

Insatisfeitos com as respostas, decidiram procurar a igreja que publicou o livro Sinais de Esperança. Foi aí que entrou em cena Cleide Santos de Amaral Lima, uma adventista recém-batizada por influência de um programa de rádio do instrutor bíblico José Clebson Gonzaga Oliveira. Providencialmente, um dia Cleide tropeçou na calçada do comércio em que Gleise trabalha. O dono do estabelecimento, constrangido com a situação e procurando compensar o prejuízo, decidiu contratar Cleide como funcionária.  

Não precisou de muito tempo para que Cleide e Gleise conversassem sobre religião e para que a nova colega de trabalho lhe contasse que o livro missionário era produzido pela Igreja Adventista. Apesar de Cleide ter indicado Clebson para estudar a Bíblia com a família de Gleise, André foi resistente, pois temia que o instrutor ensinasse uma religião, mas não a Bíblia. Somente em setembro do ano passado, é que a família Castelli aceitou estudar a Bíblia com os adventistas.  

O resultado é que todos decidiram seguir as verdades bíblicas que descobriram. Mais do que isso, decidiram apresentar o que aprenderam a outros. Prova disso, é que no sábado, Isabel de Fátima Agustini, uma vizinha dos Castelli, também foi batizada. Além disso, na casa da nova família adventista foi formado um pequeno grupo (reuniões para estudo da Bíblia e confraternização), em que participam oito fiéis das igrejas evangélicas que os Castelli frequentavam. A família, antes separada por várias confissões religiosas, agora adora unida, porque compartilham da mesma fé e passaram pelo mesmo batismo.

veja também