Lugares da Bíblia: Ascalão - a cidade de Sansão e Dalila

Lugares da Bíblia: Ascalão - a cidade de Sansão e Dalila

Atualizado: Terça-feira, 11 Outubro de 2011 as 10:19

Ascalão – ou Ashkelon, em hebraico – é uma cidade localizada no litoral sul de Israel, ao norte da conturbada Faixa de Gaza. Por isso tem seu território frequentemente atacado pelos palestinos. Apesar do terrorismo, é uma cidade turística muito bem organizada e estruturada, a apenas 1 hora de Jerusalém.

Foi lá que se passou a maior parte da história bíblica de Sansão, um nazireu nascido de uma promessa de Deus e que salvaria o povo judeu de todo o sofrimento que enfrentava com os filisteus. A vida desse menino deveria ser dedicada ao serviço Divino, por isso, nunca poderia ter seus cabelos cortados.

Conforme ia crescendo, Sansão revelava uma força impressionante, tendo, em determinado momento, derrotado sozinho, com as próprias mãos, um leão feroz, como se fosse um gatinho. Ao chegar à idade adulta, ele procurava meios de livrar seu povo da opressão.

Porém, em seu segundo casamento, com Dalila, foi persuadido por ela, sedenta pela riqueza oferecida pelos filisteus, a contar o segredo de sua força. Dalila vendeu a vida do marido por dinheiro.

Sansão foi atacado pelos filisteus, que cortaram seu cabelo. Ele teve os olhos perfurados e foi levado a Gaza, onde seus inimigos o aguardavam com uma grande festa para celebrar sua captura. Atormentado por estar em um lugar repleto de idolatrias, o nazireu invocou a Deus e pediu a Ele que devolvesse sua força apenas naquele momento, para que pudesse terminar com aquela festa de idólatras e declarar a unicidade do Senhor, mesmo que isso custasse a sua própria vida.

Neste momento, Sansão sentiu-se revigorado e arrancou todos os pilares do lugar em que a festa acontecia, causando o desabamento do teto e das paredes. Ninguém sobreviveu, nem mesmo ele. E os filisteus, que oprimiam os hebreus, estavam finalmente derrotados.

Nos dias atuais

Hoje Ascalão tem aproximadamente 113 mil habitantes, segundo dados do Escritório de Estatísticas de Israel de junho de 2010. Sua população vem crescendo em ritmo acelerado, já que a cidade, bem estruturada, é próxima de Tel Aviv, um dos principais centros econômicos do país.

A brasileira Esther Rachel Schneider reside no local há 13 anos e acredita que o único problema de viver na cidade é a proximidade com a Faixa de Gaza. “Dois filhos meus já serviram o exército israelense e o terceiro está servindo a Aeronáutica. Ascalão está a apenas 13 quilômetros da Faixa de Gaza – a 5 quilômetros em linha reta –, então, às vezes, somos atacados e caem mísseis aqui. Ouvimos a sirene de alerta e precisamos nos abrigar. O pânico é indescritível”, relata.

Em março deste ano, o governo israelense desenvolveu uma forma de proteção às suas fronteiras bastante eficiente, chamada “cúpula de ferro”. É um sistema que reconhece o míssil quando este é lançado, calcula sua trajetória e o destrói no meio do caminho, antes dele chegar ao solo.

Essa proteção deixou a vida dos cidadãos de Ascalão bem mais tranquila. “Agora nós vemos muitos mísseis explodirem no céu e os ataques diminuíram bastante”, conta Esther.

Organização e história

Ascalão é uma cidade muito limpa e organizada, com uma significativa população de imigrantes, principalmente de etíopes e russos, estes últimos estabeleceram colônias bem fortes na cidade. É comum ouvir russo nas ruas, fazer compras e ser atendido neste idioma em consultórios médicos.

As praias são outro atrativo. Banhadas pelo Mar Mediterrâneo, no verão elas ficam lotadas, e é muito comum ver as famílias levando a própria comida em panelas e fazendo uma verdadeira “farofada”, já que não há qualquer tipo de comércio de comida, como é bem comum nas praias brasileiras.

Há ainda uma marina, que foi recentemente reformada, onde existem diversos restaurantes, que à noite funcionam como bares, sendo o local preferido da maioria dos jovens da cidade.

Os sítios arqueológicos de Ascalão são referencia internacional. O Gan Leumi Ashkelon é um parque nacional ao longo da costa do Mar Mediterrâneo da cidade, no coração da cidade antiga. É cercado por um muro que foi construído em meados do século 12.

O parque contém restos arqueológicos de diversas civilizações que habitaram aquela área, como os cananeus, filisteus, persas, fenícios, gregos, romanos e os bizantinos. Há também vestígios romanos, que incluem colunas de mármore e granito, uma basílica, estátuas e o maior arco do mundo, que compõe um portão da Idade do Bronze Médio, datado de 1850 antes de Cristo. As escavações revelaram ainda o maior cemitério de cães do mundo antigo.

veja também