Lugares da Bíblia - Monte das Oliveiras

Lugares da Bíblia - Monte das Oliveiras

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:24

Chamado Har HaZeitim em hebraico e Djebel az-Zeitun em árabe, o Monte Das Oliveiras foi um lugar muito importante para a história cristã. Nele, o próprio Jesus Cristo pregou alguns de seus ensinamentos. Situa-se a leste da Cidade Velha de Jerusalém.

Como o próprio nome deixa óbvio, era completamente coberto de pés de azeitona, matéria-prima de um dos mais importantes produtos da região até hoje, o azeite, usado na alimentação (muito benéfico à saúde), na iluminação (em candeeiros) e até para fins terapêuticos (como ingrediente de unguentos e hidratante para pele e cabelos). Muitas ilustrações antigas com Jerusalém como tema foram feitas de seu cume, pela vista privilegiada que proporciona como mirante natural. Pertence a uma cadeia montanhosa com cerca de 3,5 quilômetros de extensão. Como o solo é fácil de ser escavado, até hoje são encontrados túmulos de várias épocas.

Citado em vários livros da Bíblia, foi cenário de algumas das mais importantes passagens da vida do Messias. Quem chega do oriente à cidade, tem de passar por ele, mencionado em Mateus 21:1, Marcos 11:1 e Lucas 19:28, quando da entrada triunfal de Jesus. De seus altos, o Filho do Homem lamentou a rebeldia de Jerusalém (Lucas 19:29-44) e falou sobre a ruína do Templo (Mt 24:1-3, Marcos 13.1-4 e Lucas 21:5-7).

Onde Cristo foi preso

A última semana da vida de Cristo foi passada naquele monte. Lá fica o Getsêmani (palavra derivada do hebraico para prensa de azeite), onde o Mestre costumava se retirar para orar (Mateus 26:36) e encontrar seus discípulos (João 18:1-2), como também aconteceu após a Última Ceia (Marcos 14:26,32). Lá ele fez a sua entrega final, segundo a vontade de Deus, e foi preso.

Ainda é possível aos visitantes apreciar oliveiras que já estavam plantadas na área desde bem próximo dos tempos em que Cristo a frequentava, algo em torno de 2 mil anos. Mas não são encontrados espécimes da época antes de sua morte e ressurreição, pois em 70 depois de Cristo, os romanos derrubaram as árvores, posteriormente replantadas.

Mas não só a respeito de Jesus a colina é citada na Bíblia. Para lá seguiu Davi, chorando com seus seguidores, quando fugia de Jerusalém por causa da perseguição de seu filho Absalão (2 Samuel 15:30). A elevação também é mencionada em passagens a respeito de Salomão, Josias e Zacarias.

Hoje, em seu topo, fica o luxuoso Hotel dos Sete Arcos, de onde se tem uma vista privilegiada de Jerusalém. A colina ao norte é o Monte Scopus, base de operações dos romanos durante o cerco à cidade, onde ficam atualmente as primeiras edificações da Universidade Hebraica. Visitantes podem fazer passeios turísticos com camelos, que rendem interessantes fotografias com a Cidade Velha ao fundo.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições