Luta de casal cristão proibido de adotar crianças vai até o Supremo Tribunal

Luta de casal cristão proibido de adotar crianças vai até o Supremo Tribunal

Atualizado: Sexta-feira, 5 Novembro de 2010 as 2

Um casal cristão da Inglaterra está lutando no Supremo Tribunal contra o governo de sua localidade por causa de uma decisão que os proíbe de se tornarem pais adotivos por causa de sua fé e sua oposição à ideologia homossexual. O caso foi ouvido hoje pelo Supremo Tribunal, que está situado em Nottingham.

"Logo, logo as autoridades locais decidirão que os cristãos não podem cuidar de algumas das crianças mais vulneráveis da nossa sociedade, simplesmente porque eles desaprovam a homossexualidade", disse um porta-voz do Centro Legal Cristão, que está atuando em favor da família.

Em fevereiro de 2008, Eunice e Owen Johns de Derby entraram com uma ação contra a prefeitura local quando foram impedidos de adotar porque disseram que eles não queriam falar para as crianças acerca da homossexualidade como um "estilo de vida" aceitável.

A comissão municipal de adoção de Derby ficou também, de acordo com as reportagens, "transtornada" com o fato de que o casal insistia em que as crianças sob os cuidados deles tivessem a obrigação de acompanhar a família à igreja nos domingos. A comissão admitiu em documentos internos que os Johns podem ter motivos para sentir que sofreram "discriminação com base religiosa".

Atuando em favor da família, o Centro Legal Cristão (CLC) solicitou um exame judicial da decisão da comissão, dizendo que o casal não era "homofóbico", mas cria que o sexo fora do casamento é errado e que o casamento só pode existir entre um homem e uma mulher. No passado, os Johns haviam trabalhado como pais adotivos para aproximadamente 20 crianças.

A organização homossexual de pressão política Stonewall disse que as necessidades das crianças têm de ser colocadas acima dos “preconceitos” de potenciais pais adotivos. Summerskill, diretor do Stonewall, chamou a decisão da comissão de "sensata" e disse: "Muitos pais cristãos de filhos gays ficarão chocados com as opiniões do sr. e sra. Johns que cheiram mais ao século XIX do que ao século XXI".

Mas Andrea Minichiello-Williams, advogado e diretor do CLC, disse: "Os Johns são um casal cristão amoroso, que no passado deu, e para o futuro também daria, uma lar maravilhoso para uma criança vulnerável. As pesquisas claramente demonstram que as crianças se desenvolvem melhor numa família com mãe e pai que vivem num relacionamento de fidelidade, como os Johns têm. Uma das questões diante do Supremo Tribunal é se os casais cristãos, que têm opiniões tradicionais acerca da ética sexual, são 'pessoas aptas e preparadas' para cuidar de crianças - e, por conseguinte, para adotar. Que o Supremo Tribunal precise chegar ao ponto de considerar isso é uma reversão estupenda do conceito do bem-estar público e da definição tradicional da moralidade sexual".

Por Hilary White

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

veja também