Maioria dos adventistas sul-americanos formada por jovens e mulheres

Maioria dos adventistas sul-americanos formada por jovens e mulheres

Atualizado: Sexta-feira, 17 Setembro de 2010 as 3:58

Dados estatísticos da Secretaria da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul mostram uma congregação formada, em sua maioria, por jovens e mulheres. Tratam-se das primeiras estatísticas apresentadas após a completa informatização da área de secretaria de todas as uniões e campos dos oito países que compõem a Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia (DSA). Na faixa etária até 35 anos, o percentual de membros chega a 53,3%. As mulheres representam 56,8% do total dos 2 milhões, 34 mil e 93 membros devidamente registrados atualmente. Entre os jovens até 35 anos, 24,6% são homens e 28,7% são mulheres.

 Segundo o pastor Magdiel Pérez, secretário da DSA, o sistema da Secretaria da DSA começou a ser implantado, a partir de 2003 e 2004 em todas as 15 uniões (regiões administrativas) do Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile, Bolívia, Peru e Equador. “Com o passar dos anos, as igrejas se informatizaram e a história começou mudar, indo de relatórios manuais aos relatórios informatizados mensais. Em 2009, foi realizado um trabalho especial para todos os campos usarem única e exclusivamente o sistema de secretaria como fonte oficial da igreja adventista. Foi assim que, a partir de outubro do ano passado, todos os relatórios básicos oficiais que a DSA tem mensalmente são 100% informatizados”, comenta.

Na avaliação de Pérez, os dados são mais confiáveis e correspondem, portanto, à realidade. Na prática, hoje a Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul tem informações atualizadas e que rapidamente podem ser acessadas. Ele acrescenta, ainda, que as informações exatas e precisas são fundamentais para um melhor planejamento das atividades, dimensionando melhor o grupo com o qual se trabalha.

Analisando os dados, o pastor Erton Köhler, líder sul-americano dos adventistas do sétimo dia, entende que os números mostram um futuro promissor para o adventismo sul-americano. Tanto jovens, quanto mulheres, são dois grupos com os quais a Igreja precisa saber lidar de maneira cada vez melhor através de projetos, programas e ações que potencializem o os talentos e sejam desafiadores. “Já imaginávamos que esta fosse a realidade, mas agora, com a comprovação estatística, podemos e vamos trabalhar com ênfase nesta realidade nos próximos anos. A maneira de realizar o evangelismo vai levar em conta o perfil de nossos membros”, destaca.

veja também