Mais de 300 cristãos ainda se encontram deslocados devido a invasão turca, na Síria

Desde a invasão de Afrin, em janeiro, mais de 100 pessoas fugiram da cidade, incluindo os cristãos curdos.

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Domingo, 15 Abril de 2018 as 11:43

Os moradores ainda não podem retornar à sua cidade. (Foto AP).
Os moradores ainda não podem retornar à sua cidade. (Foto AP).

Moradores da cidade de Afrin e aldeias vizinhas, no norte da Síria, tiveram de fugir desde que o exército turco e seus aliados invadiram a cidade no dia 20 de janeiro. De acordo com informações da ONU, mais de 100 mil moradores deixaram a cidade e agora estão deslocados, sendo que a maioria deles está no interior do norte de Aleppo.

Algumas fontes afirmam que o número de deslocados seria cerca de 180 mil, sendo que a maioria deles está em campos de deslocados internos. A cidade de Tel Refat abriga aproximadamente 75 mil deles. Os outros estão em Nubul, Al Zahraa e Az-Ziyara.

A ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) informou na semana passada que os moradores ainda não podem retornar à sua cidade. o motivo é que eles precisam parar nos postos de controle.

Entre eles, há cerca de 300 cristãos, em sua maioria curdos. Sabe-se que há um pastor e outros líderes cristãos que estão tentando cuidar deste rebanho que atualmente se encontra disperso pelo fato de estarem deslocados. A organização Portas Abertas pede a Igreja de Cristo que ore por esses cristãos.

“Ore para que eles tenham graça, força e sabedoria do Senhor e para todos aqueles que estão tentando ajudar os deslocados. Ore para que eles possam experimentar a presença do Senhor Jesus que venceu a morte, em meio a dificuldades. E assim, encontrar conforto, paz e segurança”, pede.

“A Síria ocupa a 15ª posição na lista mundial de perseguição deste ano e está em guerra há sete anos. Assim, os cristãos sírios perseguidos precisam de nossas orações para que o Príncipe da Paz reine em suas vidas e na nação. Ore pela Síria”, alerta a entidade.

veja também