Mais de 800 mil pessoas se unem para exigir dignidade aos cristãos da Síria e Iraque

A petição chama atenção para a carência em igualdade e cidadania sobre os cristãos nestes países.

fonte: Guiame, com informações do Portas Abertas

Atualizado: Quarta-feira, 13 Dezembro de 2017 as 3:28

Ao todo, foram 143 países que participaram da ação e assinaram a petição. (Foto: WWM).
Ao todo, foram 143 países que participaram da ação e assinaram a petição. (Foto: WWM).

Uma petição reuniu 808.172 assinaturas. A causa é importantíssima, pedir atenção para os cristãos que moram no Iraque e na Síria. A “Um Milhão de Vozes de Esperança” teve um êxito significativo, convocando pessoas do mundo inteiro para apoiar a iniciativa.

Só no Brasil foram 61 mil assinaturas. O Oriente Médio, Reino Unido e Índia também tiveram participações significativas nos números. Isso significa que pessoas do mundo inteiro se uniram para pedir igualdade, dignidade e cidadania para cristãos nestes países.

Os crentes em Jesus que residem na Síria e no Iraque querem permanecer e reconstruir seu país. Por esse motivo, eles carecem de condições básicas para sobreviverem, como moradia digna, além de ter assegurado seu papel de protagonistas na construção da sociedade.

A Organização Portas Abertas, por meio da petição, se tornou mais ainda uma grande aliada na luta por tais condições básicas. “Mostramos à nossa família no Iraque e Síria que eles não foram esquecidos”, diz o site oficial.

Ao todo, foram 143 países que participaram da ação e assinaram a petição. E para entregar este documento, uma pessoa especial entra em cena. Noeh, um menino de 12 anos de Karamles, no Iraque, voou para Nova York junto com o pai, Hathem, que é pastor de uma igreja e colaborador da Portas Abertas.

Eles foram apresentar a petição à ONU. As muitas assinaturas fizeram com que fossem desenvolvidas reuniões na ONU na última segunda-feira (11). Já nesta quarta-feira (13) é a vez do Reino Unido receber o documento.

A Portas Abertas pede que os cristãos permaneçam em oração pela causa. “Continue orando para que o resultado desse esforço mundial traga benefícios para nossos irmãos que precisam de ajuda e direitos preservados para construir um futuro depois de passarem pela guerra”, finalizou.

Confira o vídeo de Noeh agradecendo:

veja também