Malafaia, Mara Maravilha e Fat Family agitam Festa dos Estados

Malafaia, Mara Maravilha e Fat Family agitam Festa dos Estados

Atualizado: Quinta-feira, 10 Julho de 2008 as 12

Por Claudia Moraes

Cerca de dez mil pessoas estiveram na última quarta-feira, 9 de julho, feriado da Revolução Constitucionalista, em São Paulo, na Festa dos Estados, realizada pela Assembléia de Deus do Bom Retiro. Alguns dos destaques do dia (a festa tem duração de 4 a 13 de julho) foram: o grupo Fat Family, a cantora Mara Maravilha e o pastor Silas Malafaia, que ministrou a palavra no período noturno. Além de diversos pastores, também passaram por lá alguns políticos como o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e os vereadores Carlos Bezerra Jr. e Lenice Lemos; e o jogador de futebol Marcelinho Carioca.

Kassab, que tem sido figura constante em eventos gospel, mesmo antes de assumir a Prefeitura, já se mostra adepto ao "evangeliquês". Ao subir no palco, disse frases como: "A paz do Senhor" e "Feliz é a nação, cujo Deus é o Senhor".

O espaço da igreja ficou pequeno para os milhares de evangélicos de diversas denominações que se reuniam ali. Às 19h20 estava proibida a entrada de mais pessoas, devido a capacidade de lotação estar no limite. O site da igreja transmitiu o culto ao vivo e teve mais de 40 mil acessos durante todo o dia. A maior parte era do Brasil, seguido por Estados Unidos e Arábia Saudita.

Fat Family

O grupo Fat Family, que se dividia entre cantar secular e gospel, afirmou que agora cantará só músicas de louvor a Deus. "Há uns três meses, ouvimos a voz do Senhor para tocar só gospel", conta a integrante Suzete Cipriano, que também disse que a apresentação na Festa dos Estados foi uma benção e a glória do Senhor já estava no local. "Nós só somamos", afirmou. O grupo ainda não tem nenhum CD evangélico, diz que tem este projeto, mas "tudo está na mão do Senhor, será no tempo de Deus".

Mara Maravilha

Mara Maravilha mesclou sucessos anteriores com músicas de seu novo CD "Importante é amar", durante a apresentação na Festa dos Estados. "O importante é amar. E o amor tudo suporta, perdoa. É muito fácil falar 'eu te amo', mas realmente dar o fruto do amor [...] A gente tem que fazer a diferença e este CD vem falar sobre tudo isso", conta a cantora, que também opinou sobre o evento: "Eu estou sempre aqui. Acho importante o povo de Deus estar unido 'como é bom e agradável ver os irmãos em união'. Esta é uma igreja que ama e aqui a gente não tem distinção de pessoas".

Ao cantar a música Rei Davi (Se o Espírito de Deus se move em mim... Eu canto como o rei Davi...), Mara chamou as crianças, que subiram ao palco e louvaram junto.

Silas Malafaia

Antes de pregar, o pastor Silas Malafaia falou com exclusividade ao Portal Guia-me sobre a Festa dos Estados. "Deus é um Deus de festas, Israel fazia muitas festas.    É uma alegria, festa no meio do povo de Deus é paz, é tranqüilidade, isso é muito bom. É importante o povo de Deus reunido, prestando culto a Ele".

Malafaia também comentou sobre o Projeto de Lei da Homofobia, afirmou que está acompanhando os trâmites no Senado e quando for para CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) haverá uma nova manifestação dos evangélicos no Congresso.

O pastor disse ainda que neste caso, não há um acordo fechado entre os partidos para a aprovação, não envolve interesses políticos ou partidários e está orando e trabalhando para que não seja aprovado.

Palavra -  O tema da pregação de Silas Malafaia foi "Como vencer a depressão". O pastor explicou que a doença pode ser causada por fatores internos, gerados no próprio organismo, ou externos, por situações vividas. Enfatizou que no meio cristão, muitos acham que o deprimido é fraco na fé e isso é um erro. "Não tem palavra de encorajamento [ao irmão com depressão], cale a boca", esbravejou Malafaia.

O pastor Silas Malafaia deu como exemplo quando o profeta Elias passou por uma depressão; orou para que as pessoas fossem curadas deste mal; mas deixou claro que em muitos casos é preciso os acompanhamentos psicológico e espiritual e o auxílio de remédios. Lembrando que vários crentes são resistentes em procurar auxílio médico, principalmente nos casos de doenças emocionais.

Dejanira de Moraes, 68 anos, da Igreja de Jerusalém, aprovou a ministração da palavra. "O culto foi maravilhoso. Já vim várias vezes aqui e acompanho o Silas [Malafaia] há muito tempo".

Organização

A Festa dos Estados acontece há 11 anos na Assembléia de Deus do Bom Retiro, em São Paulo, e iniciou com o objetivo de angariar recursos para o pagamento do galpão da igreja, onde era um depósito de bebidas. Hoje, após o local quitado, o pastor-presidente Jabes de Alencar pretende erguer um templo. "Desde que a gente começou, todos os barraqueiros [pessoas que montam os stands com comida típica de cada estado brasileiro] são membros da igreja e doam o tempo, os alimentos e o serviço deles. E tudo o que é levantado fica em prol de pagar o templo", conta Dayan de Alencar, organizador e filho do pastor Jabes. "A gente não esperava ser o que é a festa. Hoje, a nossa estrutura é precária para receber o tamanho que é a Festa dos Estados", completa Dayan.

"Está acima de todas as expectativas, um público maravilhoso. O pessoal não vem apenas para comer, para o corpo se alimentar. Há muita gente com fome, com sede de Deus. Há comida para alma, muita palavra, muito louvor. Está sendo algo muito importante para nós", comentou o pastor Jabes de Alencar, que também enfatizou a unidade da igreja. "Eu sempre defendi que, o que nos une é muito maior do que o que nos separa. Por muito tempo o diabo levantou uma barreira, uma muralha. A gente caiu na estratégia dele, pensando que éramos diferentes um do outro, mas graças a Deus que o muro da vergonha caiu. Nós descobrimos, mais do que nunca, que todos somos um em Cristo, que há uma igreja só", finalizou.

Fotos: Rodrigo Borba

veja também