Mara Maravilha: "Eu conto com a fidelidade de Deus para voltar à TV"

Mara Maravilha: "Eu conto com a fidelidade de Deus para voltar à TV"

Atualizado: Segunda-feira, 5 Abril de 2010 as 12

No title Quem não se lembra de Eliemary? Não se recordou? E de Mara Maravilha? A morena que ficou guardada na lembrança de muitas crianças dos anos 1980 já passou por várias fases em sua vida. De apresentadora infantil até se tornar cantora evangélica, a menina da pequena cidade de Itapetinga, do interior baiano, acabou se transformando em uma mulher forte e disposta a desafios.

Mara, assim que começou a carreira no SBT, ganhou o nome artístico de "Maravilha" logo do "Patrão" Sílvio Santos e é dessa forma que é lembrada até hoje. A moreninha de cabelos lisos deu lugar a uma cantora gospel de voz poderosa que, em entrevista ao Famosidades, fez questão de frisar que apesar de gostar do atual trabalho, tem muita vontade de voltar aos áureos tempos de TV.

E pelo jeito o que move a baiana é a certeza de que seu público é fiel e a quer novamente alegrando as telinhas: "Agora estou no banco de reservas, quem sabe daqui um tempo eu volte. Eu quero voltar e o público me quer de volta", afirmou ela.

Ao longo dessa entrevista, você caro internauta, vai poder relembrar e quem sabe até querer ser um dos "Marotos" ou uma das "Maravilhas" do programa "Show Maravilha". Brincando e dançando ao som de ritmos característicos dos anos 1980 e torcendo para que Mara, a apresentadora "tipicamente brasileira" - como a própria se intitula - surja na frente de um grande sol do cenário que iluminava e hipnotizava milhares de crianças na frente da TV. Confira curiosidades, os planos da artista e muito mais.

FAMOSIDADES - Você entrou para o SBT nos anos 80. O que você mais se lembra dessa época?

Mara Maravilha  - Isso mesmo! Olha, lembro de muita coisa. Foi lá [na emissora] que comecei então tenho boas lembranças. Minha história começou no SBT. O sorriso das crianças, o carinho delas, o olhar... Todas foram lembranças de uma época muito feliz e eu sinto falta afinal, foram sete anos né?

Porque resolveu sair da emissora? Houve algum desentendimento?

Ah, era muita fofoca que existia no meio, principalmente no infantil acredita? E eu nunca gostei disso, nem falar nem escutar e aí já estava cansada. Não sei lidar com mentira e fofoca. Por isso pedi para sair do SBT. Mas lá foi uma boa casa e eu sempre me senti muito abençoada. Apesar de ser na época, ainda muito ingênua. Hoje aprendi a me calar, pois sei que certas vezes isso é muito importante. No mais foi a correria do dia-dia mesmo... e também teve o fato que eu estava indo fazer carreira na Argentina...

Pois é Mara, você teve o programa na Argentina. Como foi essa experiência? Por quanto tempo ficou por lá?

Olha, já tinha ido para o exterior em outras ocasiões e quando fui pra lá para apresentar meu programa, modéstia à parte, vivi um momento de estrela! Eu apresentava para multidões, saía e tirava fotos, dava muitos autógrafos... mas em compensação eu vivia na ponte aérea porque morava aqui no Brasil. Só que, poxa, o programa era gravado em um ginásio! Foi bacana aquele período e eu só tenho a agradecer a Deus.

Na época que você comandou programas infantis havia várias apresentadoras na mesma área. Ocorria muita competição entre vocês?

Bom, não vou mentir, tinha competição sim, mas tudo dentro dos padrões sabe? Mas a gente não brigava ou coisas do tipo. A mídia que deturpava algumas coisas e tinha aquelas fofoquinhas maldosas. Mas para você ter uma ideia de como era a coisa, eu até ia na casa da Xuxa e ela me ligava sempre. Nunca teve olhar feio, essas coisas.

Na Rede Record você apresentou o "Mara Maravilha Show" e o "Mundo Maravilha", mas saiu em 2002. Porque resolveu voltar para a TV depois de estar desenvolvendo a profissão de cantora?

Sempre disse que sou uma cantora/apresentadora. E pensava assim: 'eu me imagino parando de apresentar, mas jamais parando de cantar'. Foi aí que eu vi que queria seguir na carreira de cantora e me dediquei muito. Mas gosto de comandar programas e, quando voltei da Argentina e me converti [como evangélica] recebi um convite da Record para voltar, aí não pude recusar.

Sente falta de comandar programas infantis? Tem vontade de voltar ou prefere a carreira de cantora gospel?

Nossa, sinto muita falta! E o público me cobra sabia? Para todo lugar que eu vou sempre tem alguém perguntando 'Mara, porque você não volta a TV?' [risos]. Isso é uma constante. Mas eu digo 'Ah, eu agora tô no banco de reservas, quem sabe daqui um tempo eu volte' [...]. Eu quero voltar e o público me quer de volta. Mas aceito a vontade de Deus, e ficarei onde quer que Ele queira que eu fique.

Então você ainda é muito reconhecida, mesmo depois desse anos todos.

Sou muito reconhecida sim. É aquela história né. O público que me assistia, o meu público sempre foi muito fiel e me via diferente do que normalmente se vê na TV. Eu sempre fui a 'tipicamente brasileira Mara Maravilha'. Moreninha, cabelos bem pretinhos...praticamente uma índia [risos]! Eu sou da casa do brasileiro e por isso tenho o carinho do público.

Você fazia o maior sucesso com as crianças. Mas e você? Tem filhos? Se casou?

Sim, me casei em agosto de 2009 com Alessander Vigna [que é dentista] e estamos muito felizes, mas ainda não tenho filhos apesar de adorar crianças. Eu inclusive já gravei quatro CD's e DVD's só para crianças.

Você também é escritora e já teve até alguns livros lançados. Desde quando começou a se interessar por literatura e por que não seguiu nessa área de trabalho?

Sempre gostei de escrever e compor. Sou uma pessoa pensante. Aprecio mais o lado intelectual do que o corpo, mas não dá para abraçar o mundo com as pernas... Tinha que escolher uma área para seguir. Mas adoro a literatura.

É verdade que em 1991 você foi homenageada na Academia Brasileira de Letras? Como isso ocorreu e por quê?

Fui sim e foi um marco. Um reconhecimento mesmo. Nunca nenhuma outra apresentadora foi homenageada em um lugar como aquele. É um ambiente intelectual e eu gosto disso. E foi das mãos do Presidente da Academia [então, Austregésilo de Athayde] que ganhei o prêmio por Apresentar o Programa de TV Comercial mais Didático do Brasil. [...] É como o Antunes [Arnaldo, cantor] falou uma vez em uma entrevista: 'A Mara Maravilha é uma das pessoas mais inteligentes que eu conheço'. Poxa, isso mostra alguma coisa né? E eu também já recebi uma condecoração como Embaixadora da Paz em 2008, e tudo isso foi uma bênção.

Como está sua vida profissional atualmente? E quais seus planos para o futuro?

Estou seguindo com a carreira de cantora gospel, mas estou tentando voltar a TV como apresentadora. Tô seguindo a carreira internacional, já fiz turnês nos Estados Unidos, no Japão... E esse ano [2010] ainda pretendo gravar um DVD em Israel.

Qual o recado que você daria para o público que te acompanhava na época que você apresentava programas infantis?

Bom, que eu conto com a fidelidade deles todos e de Deus para voltar à TV já que estou me propondo a voltar. O meu maior recado é dizer que sei que meu público é fiel a mim e ao meu trabalho em qualquer circunstância.

Por Priscilla Aurelia

veja também