Marcelo Aguiar e outros parlamentares cristãos debatem defesa da vida com ministro Padilha

Evangélicos debatem defesa da vida com ministro Padilha

Atualizado: Quinta-feira, 15 Março de 2012 as 11:39

Com objetivo de discutir a MP 557/2011 que trata do cadastro de gestantes. Membros das Frentes Evangélica, da Família e Em Defesa da Vida estiveram, nesta terça-feira (13/03), com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha para cobrar a reinserção do termo “nascituro” no texto que defende os direitos da gestante a um tratamento de qualidade e o deputado federal Marcelo Aguiar (PSD/SP), falou de emendas, de sua autoria, que buscam garantir o sigilo do cadastro e a privacidade das mães.

Os quatorze parlamentares e membros de associações em defesa da vida que participaram do encontro afirmaram que o termo “nascituro”, retirado do texto em sua última versão, é importante por representar o feto desde o momento da concepção. “O bebê ainda não nascido não é parte do corpo da mulher, mas uma vida absolutamente distinta e com corpo autônomo daí a importância da garantia de proteção a ele também”, explicou o vice-presidente da Frente da Família, deputado Roberto de Lucena. 

O ministro Padilha garantiu que sua pasta apóia qualquer melhoria ao texto que garanta mais segurança às gestantes e afirmou que a privacidade das informações é defendida também pelo Ministério. “Buscamos um texto de consenso, que garantisse a redução da taxa de mortalidade materna e um atendimento de qualidade para as gestantes por meio da Rede Cegonha”, explicou. “Mas fiquem tranqüilos que, para nós da Saúde, é indispensável garantir a privacidade das informações das pessoas, até para não expor ninguém”, garantiu Padilha.

O evangélico Marcelo Aguiar, que esteve com o prefeito de São Paulo e presidente do PSD, Gilberto Kassab, e Alexandre Padilha, na semana passada, elogiou a abertura ao diálogo garantida pelo ministro. O grupo entregou um documento com as reivindicações relacionadas à MP 557/2011.

veja também