Marina defende união civil, mas não casamento homossexual

Marina defende união civil, mas não casamento homossexual

Atualizado: Quinta-feira, 9 Setembro de 2010 as 4:56

Durante sabatina do jornal O Globo nesta quinta-feira (9), no Rio de Janeiro, a candidata do PV à presidência da República, Marina Silva, afirmou não defender o casamento entre homossexuais, por uma "objeção de consciência", referindo-se a matrimônios religiosos, mas ressaltou ser favorável a união civil, independente de religião.

A distinção foi feita em meio a uma série de perguntas sobre suas posições a respeito de questões como aborto, criacionismo e pesquisas com células-tronco.

"Seus direitos devem assegurados (...) herança, plano de saúde, não podem ser negados", defendeu, em relação a união civil de pessoas do mesmo sexo.

"Por uma objeção de consciência, não defendo o casamento, porque entendo que se trata de um sacramento", ponderou, defendendo a separação da questão religiosa do direito legal.

Marina também defendeu a adoção de crianças do mesmo sexo e negou ser a favor do criacionismo.

"É um equívoco dizer que eu defendo o criacionismo (...) sou uma pessoa que crê em Deus e não preciso de nenhuma fundamentação científica para isso".

A candidata reiterou ser contra o aborto, mas disse respeitar as concessões do "que está na lei", assim como na questão de pesquisas com células-tronco embrionárias, permitidas após três anos de congelamento.

"Sou a favor da vida do embrião (...) minha posição é favorável à pesquisa com células-tronco adultas".

Embora não tenha sido perguntada sobre legalização do uso de maconha, Marina respondeu, afirmando que "costuma estar no 'cardáapio'" de questões polêmicas."Existem pessoas que defendem de maneira séria, como Fernando Henrique Cardoso e Gabeira.Eu tenho outra avaliação, eu discordo deles", concluiu.

Por João Pequeno

veja também