Marina diz que não vai usar Igreja como palanque

Marina diz que não vai usar Igreja como palanque

Atualizado: Segunda-feira, 31 Maio de 2010 as 8:59

A pré-candidata do PV à Presidência, Marina Silva, participou neste domingo de um culto da Assembleia de Deus, em Mogi Guaçu, no interior de São Paulo. Apesar de os discursos que a antecederam terem tido clara conotação eleitoral, ela disse que não vai usar a igreja para fazer campanha.

- Eu tenho dito que não vou fazer do púlpito palanque. Por isso, fiz questão de falar aqui com a palavra de Deus - disse Marina, que é evangélica.

O pastor Dilmo dos Santos, candidato a deputado estadual, praticamente "elegeu" Marina em sua fala.

- A senhora não será a futura, mas a próxima presidente do Brasil - afirmou.

Em quase 40 minutos de pronunciamento, Marina se limitou a falar de sua trajetória de vida, sempre pontuada por trechos da Bíblia. Somente no final, ela fez referência às eleições.

Depois de assumir o compromisso de não misturar religião e política, a pré-candidata pediu aos presentes que não "satanizassem" José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), seu adversários na corrida ao Palácio do Planalto.

- Eu não quero que façamos qualquer tipo de satanização com aqueles que não partilham da mesma fé em Deus. O mesmo Deus que me ama é o Deus que ama a Dilma, ama o Serra e ama todas as pessoas - pediu.

Em entrevista, Marina afirmou não ter medo de ser acusada de usar a sua condição de evangélica para levar vantagem nas urnas.

- Eu não temo. É por princípio. Isso não é de agora. Isso foi sempre desde que me converti - declarou.

A presidenciável evitou criticar Serra e Dilma por participarem de eventos evangélicos.

- Essas pessoas são convidadas, se são convidadas, cada um faz o desempenho que lhe aprouve - disse.

veja também