Maringá: Igrejas pedem paz no trânsito

Maringá: Igrejas pedem paz no trânsito

Atualizado: Quarta-feira, 15 Dezembro de 2010 as 9:53

 A Igreja Católica e a Ordem dos Pastores Evangélicos de Maringá declararam engajamento em campanhas para combater a violência no trânsito. Os padres e pastores da cidade estão orientados a mencionar o assunto nas missas e cultos, passando orientações de paciência e respeito à vida.

Ontem, o arcebispo dom Anuar Battisti celebrou missa na Catedral em homenagem às vítimas do trânsito. "Não se pode matar e morrer como está acontecendo. Os veículos viraram uma arma", diz. "Os motoristas de Maringá são mal-educados", disse o arcebispo, chamando a atenção para o grande números de condutores sem habilitação flagrados nas blitze.

Aproximadamente dez famílias se identificaram na missa como parentes de vítimas de acidentes fatais no trânsito.

Emocionado, o contador Armando Redmerski lembrava o aniversário de seis anos da morte de seu filho André. "Hoje a gente aceita, ele voltou para o Pai. Mas não foi fácil", diz. Redmerski. "Os jovens não respeitam, são muito mal-educados. Meu filho pulou para fora do carro porque estava sem cinto. Fazer o quê? Ele também era um motorista mal-educado."

O metalúrgico José Cardoso Junior, 23, homenageava o pai morto no último sábado em acidente envolvendo duas motos na Vila Morangueira. "Foi um choque muito grande para a família. A igreja é que oferece algum consolo."

Combate à impaciência O vice-presidente da Opem, Pastor Noel Cruz, afirmou que a entidade discutiu recentemente o tema das mortes no trânsito e orientou seus pastores a pedir paciência à sociedade como forma de combater a violência. "Hoje estamos sempre com pressa. No dia em que estivermos paciência, a situação vai melhorar muito", diz. Segundo Cruz, os índices de violência no trânsito exigem intervenção direta da Igreja. "Você vê cada tragédia em Maringá que é coisa de louco. Cabe a nós ensinarmos e orarmos pelas vítimas."  

veja também