Mario Freitas: "Deus me expôs ao ridículo para que ficasse claro que foi Ele quem me deu a vitória"

Deus expõe ao ridículo para dar vitória

Atualizado: Quinta-feira, 28 Fevereiro de 2013 as 11:14

 

vitória_adoraçãoJá estive em situações em que senti-me sitiado, cercado por bárbaras tropas adversárias. Como se todos os meus inimigos me filmassem, e como se eu não possuísse qualquer recurso para sair sozinho da situação.
 
O povo de Israel passou por situação semelhante em Juízes 6 e 7. Os midianitas cercaram a cidade, e toda a esperança se esvaiu. O inimigo era maior numericamente, mais preparado, e já vinha devastando outras cidades ao longo do caminho. Terror. 
 
Deus é surpreendente. Ele escolhe um pobre camponês chamado Gideão, sem preparo nem influência, para liderar o povo na guerra pela libertação. Gideão convoca o exército, que é composto por artesãos, ferreiros, lavradores. Tudo o que se podia imaginar, menos guerreiros experientes. Os homens se reúnem à beira da fonte de Harode.
 
Deus ordenou que Gideão mandasse embora quem não quisesse guerrear. Dos 32 mil homens, somente 10 mil permanecem. Deus ainda considerou que o exército estava inchado, embora nessa altura já fossem mais de cinco midianitas para cada israelita.
 
Mas Deus quer enxugar todos os recursos. Gideão e seu exército ficam expostos ao ridículo. 
 
Com trezentos homens somente, Gideão experimenta a intervenção de Deus e é vitorioso na guerra. Na minha vida isso faz todo sentido.
 
Todas as vezes que me senti como um pequeno bando de 300 homens, enfrentando um exército de 50 mil, Deus interviu. O contrário também é verdade: não percebi que Deus interviu nos momentos em que me senti como um poderoso exército.
 
Por várias vezes Ele me expôs ao ridículo, esgotou meus recursos, para que ficasse claro que foi Ele quem me deu a vitória na guerra.
 
 
por Mario Freitas
 

veja também