Marisa Lobo comenta declarações de pastor americano que é a favor da liberalização da maconha

Psicológa cristã rebate pastor que é a favor da maconha

Atualizado: Quarta-feira, 14 Março de 2012 as 7:54

Recentemente o pastor norte americano, Pat Robertson, defendeu em seu programa de televisão a idéia de que a legalização da posse de pequenas quantidades de maconha e que essa medida reduziria a superlotação das cadeias e a despesa do governo.

O apresentador do  "The 700 Club" afirmou também questões polêmicas como a orientação de que os maridos casados com mulheres que possuíssem mal de Alzheimer deveriam se separar e que a legalização do casamento gay causou um terremoto nos Estados Unidos.

A coordenadora nacional da campanha contra a legalização da maconha no Brasil, Marisa Lobo, rebateu a declaração do pastor afirmando que Pat é um irresponsável quando usa sua influência como pastor televisivo para soltar um comentário tão inconseqüente ao afirmar que liberar maconha vai reduzir a superlotação dos presídios.

Segundo ela, a fala do pastor mostra sua total falta de responsabilidade e conhecimento do assunto. "Jamais um líder religioso pode entrar nestas questões sua falta de conhecimento é mostrada em sua própria afirmação que liberar pequenas quantidades de maconha possa reduzir a superlotação das cadeias, como se a maconha fosse a responsável pela superlotação" diz ela.

Cristã, a psicológa que vem ganhando destaque na luta contra a liberação da droga no Brasil, afirma que liberar a maconha não vai acabar com a violência e ou tráfico, essa é uma falácia, sabemos com pesquisas de países que legalizaram a maconha como Holanda, por exemplo, que voltou atrás após decisão. "Maconha não é droga inocente, liberar maconha será a porta de entrada para liberação de todas as drogas inclusive o crack, que é a degradação o fundo do poço do vício" finaliza ela.
 

veja também