Marisa Lobo depõe no Conselho de Psicologia do Paraná

Marisa Lobo depõe no Conselho de Psicologia do Paraná

Atualizado: Quinta-feira, 18 Abril de 2013 as 3:28

 

marisa loboHoje, dia 18, às 9:30 da manhã a psicóloga Marisa Lobo prestará depoimento em audiência no conselho regional de psicologia, se defendendo a gora também de  crime de homofobia.
 
“Segundo os advogados de Marisa Lobo trata-se de uma arapuca para condenar Marisa Lobo em processo ético e transformá-la em homofobia e com isso perder os direitos de exercer a profissão, pois ela se tornou exemplo para outros profissionais e um entrave profissional para agenda gays”.
 
A perseguição se confirma a cada dia, mais um fato nos faz acreditar que o caso Marisa Lobo tratasse de uma vergonhosa perseguição religiosa. Esta semana os jornais noticiam mais um curso de psicologia que  está sendo promovido no Brasil ligado a uma religião, desta vez e o Budismo, que tem sido tolerado pelo conselho de psicologia .O preletor do curso é um psicólogos reconhecidos nacionalmente.
 
"O psicólogo clínico pela Universidade de São Paulo (USP) e um dos mais conhecidos professores de Budismo do Brasil, Ricardo Sasaki (Dhammacariya Dhanapala) vem pela primeira vez a Palmas para realizar o workshop “A preciosidade da vida”."
 
Este psicólogo pode fazer apologia, falar de suas convicções religiosas, pois budismo é uma religião, mas eu não podemos falar de Deus em minhas redes sociais, sem ser taxada de proselitista, fanática e homofobia. desabafa Marisa lobo
 
Enquanto isso a psicóloga Marisa Lobo  dia 18 de abril as 9:30 estará depondo em audiência no conselho de psicologia do Paraná, se defendendo da acusação de induzir convicções religiosas  cristãs em suas redes sociais, e  de induzir convicções de orientação sexual em seus pacientes mesmo não tendo um único caso de paciente em consultório que tenha reclamado de seus serviços e também se defendendo das acusações de homofobia.
 
Em Curitiba, O deputado estadual do Paraná deputado Paranhos, pedirá ainda esta semana audiência pública para discutir o caso Marisa Lobo quem em seu entendimento se trata de perseguição religiosa. Na comissão de direitos humanos da OAB do Paraná, que já emitiram relatório oficial entendendo o caso da psicóloga como perseguição religiosa aconselhou que o caso fosse encaminhado a comissão de direitos humano da OAB, pois tem extrapolado os limites colocando a vida de Marisa Lobo em risco, com acusações que não se sustentam.
 
Marisa lobo, tem sido criticada, ameaçada, em todas as suas redes sociais, e processada pelo conselho por não retirar das redes sociais sua fé cristã. Recentemente em Manaus um psicólogo se apresentando como psicólogo e Pai de Santo, durante um simpósio de psicologia palestrou sobre a necessidade da psicologia se aproximar das religiões afras, nas redes sociais é comum encontrar milhares de citações sobre psicologia, psicólogos divulgando seus trabalhos relacionando-os com sua Fé, mas a psicóloga Marisa Lobo tem sido perseguida por falar de Deus em suas redes sociais.
 
Os advogados de Marisa Lobo, KFOURI & GORSKI SOCIEDADE DE ADVOGADOS entendem o caso como perseguição religiosa, intolerância religiosa inconstitucional, bem acreditam que essa perseguição faz parte de uma ação orquestrada para condená-la por ser cristã e com isso sustentar o termo homofobia no Brasil. Acreditam que querem condená-la em processo ético, como começo de uma execração pública para mostrar serviço e de forma alguma vão aceitar e permitir que isso ocorra ainda que tenha que levar a caso a justiça comum.
 
Com a questão envolvendo a presidência do deputado  e pastor Marco Feliciano na comissão de direitos humanos, por ser Marisa Lobo uma de suas principais defensoras, o conselho de psicologia apressou a audiência ,o depoimento da psicóloga Marisa Lobo, para tentar condenar a mesma por homofobia e seguir para uma censura pública.
 
Marisa Lobo segue com sua decisão de não voltar atrás, não ceder, e continuar falando o que acredita sobre a verdade da sua  fé, segundo a mesma Liberdade religiosa, também serve para cristãos bem como liberdade de opinião, “Nunca ofendi nem discriminei ninguém, se minha fé é impedimento para o conselho de psicologia e para ativistas, que  se convertam ou façam valer o que pregam direitos humanos e liberdade de expressão para todos, inclusive para mim,” diz Marisa Lobo.
 
 
via assessoria

veja também