Megatemplos aumentam o faturamento de construtoras pelo país

Megatemplos aumentam o faturamento de construtoras pelo país

Atualizado: Quinta-feira, 3 Maio de 2012 as 8:39

A maior obra da construtora paulista Sobrosa hoje é o templo sede da Igreja Mundial do Poder de Deus, em São Paulo, orçada em R$ 70 milhões.

Entre as dez maiores empreiteiras do país, a Construcap é responsável pela construção do Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus, em São Paulo. Os R$ 300 milhões investidos na obra, o templo terá capacidade para 10 mil pessoas sentadas e será feito com colunas com quase o dobro de altura da estátua do Cristo Redentor.

Diretor da Solidi Engenharia e Construções, Fabio Said Bittar que o que atrai as construtoras é o perfil dos projetos. “Igrejas são obras tecnicamente simples – um grande caixote –, com prazo de entrega relativamente curto, acabamento de qualidade e contratado por quem tem dinheiro em caixa”, afirma.

Ele é responsável pela construção do Santuário Mãe de Deus, do padre Marcelo Rossi, que deverá custar R$ 50 milhões.

Bittar explica que o número de habitantes de uma cidade costuma ser usado como referência para construção de templos, segundo ele, se tem mais de 100 mil, tem espaço para a construção de um grande templo.

A Igreja Batista da Lagoinha tem capacidade para 30 mil pessoas e fica na cidade de Belo Horizonte-MG que tem uma população maior que 2,3 milhões de habitantes.

Para Eduardo Ferri Sobrosa, igrejas com capacidade acima de 10 mil pessoas já são um bom negócio. “Com uma dessas por ano, dobro meu faturamento”.


com informações do iG

veja também