Meninas espancadas pela família por se converterem mantêm a fé: "Queremos obedecer Jesus"

Elas foram evangelizadas pelo primo que é pastor em uma igreja que fica próximo de sua aldeia.

fonte: Guiame, com informações de Gospel Herald

Atualizado: Domingo, 4 Março de 2018 as 9:02

Imagem ilustrativa. "Foi muito difícil não obedecer a nosso pai, que é o chefe da família", disse uma das meninas. (Foto: Reprodução).
Imagem ilustrativa. "Foi muito difícil não obedecer a nosso pai, que é o chefe da família", disse uma das meninas. (Foto: Reprodução).

Duas irmãs adolescentes que moram em Laos (país asiático, localizado na Indochina) estão vivendo tempos de dificuldade e provação. Pelo fato de terem se convertido ao cristianismo, seus familiares a amarraram e trancaram-nas em casa durante quatro dias. Mas a fé delas permanece inabalável.

Nani, de 17 anos, e Nha Phong, de 16, se converteram ao cristianismo no outono de 2016, depois de ouvir a verdade do Evangelho por meio de um membro da família.

"Meu primo me falou sobre a Boa Nova", disse Nani a um membro da Portas Abertas. "Ele é pastor em uma igreja perto da nossa. Gostei muito do que escutei, e é por isso que eu me tornei crente".

As irmãs logo se envolveram em sua igreja local, mas  fé recém-descoberta não veio sem repercussões. Os pais das meninas e os membros da família, animistas devotos, opuseram-se fortemente à sua decisão de se tornar seguidoras de Jesus.

"Quando fomos à igreja, nossa família ficou muito brava com a gente. Meu primo e meu sobrinho disseram que eu precisava voltar para minha antiga religião e me forçavam a sair da igreja", disse Nani.

Naquela época, o primo não cumpriu sua ameaça. Mas três semanas depois, quando as meninas foram novamente a igreja, seus familiares - cerca de seis a nove pessoas - os seguiram secretamente e arrastaram as irmãs para fora do culto. "Eles nos amarraram e meu pai bateu na minha irmã, mas ele não me atingiu, eu não sei o motivo", lembrou Nani.

Eles levaram as irmãs de volta à aldeia, onde foram separadas e mantidas amarradas durante vários dias. "Eles me levaram para a casa de meu tio e me pediram uma outra vez: ‘Você ainda acredita em Deus?’ Eles me ameaçaram e me disseram que, a menos que eu renunciasse à minha nova fé, eles me manteriam amarrada", disse Nha Phong.

Após quatro dias, as irmãs foram libertadas. "Nossa família ainda estava muito chateada com nossa decisão de permanecer firme em nossa fé em Jesus", disse Nha Phong. Apesar dessa perseguição, as meninas dizem que sua fé está mais forte do que nunca.

"Eu acredito que nossa força para permanecer firme é um presente de Deus. Deus nos deu a paixão de acreditar", disse Nani. "Há um versículo da Bíblia em Efésios 6. Quando as pessoas lutam no passado, eles usarão o escudo, e eu usarei o escudo para proteger. Então eu tenho que colocar minha fé em Jesus", ressalto.

"Foi muito difícil não obedecer a nosso pai, que é o chefe da família, mas queremos obedecer a Jesus mais do que ninguém, sabemos que Jesus morreu por nós, e não queremos voltar para nossa antiga religião. Mesmo que seja difícil, queremos seguir Jesus", finalizou.

veja também