Metodistas se unem em oração pelas vítimas da violência em Realengo

Metodistas se unem em oração pelas vítimas da violência em Realengo

Atualizado: Segunda-feira, 11 Abril de 2011 as 1:40

A vida no bairro do Realengo, na zona oeste do Rio de Janeiro, começa a voltar ao normal neste domingo de sol, três dias depois de os moradores viverem o pânico com a invasão da escola municipal Tasso da Silveira. As crianças voltaram a brincar na rua e os vizinhos estão reunidos nas calçadas para um bate-papo.

Na frente do colégio onde 12 estudantes foram mortos, o número de curiosos e pessoas que vêm prestar homenagem diminuiu. Os jornalistas de plantão deram lugar aos pregadores.

Uma grande oração foi feita por pastores que vieram de longe para falar com as vítimas da violência. “Ficamos chocados com a história e viemos prestar uma homenagem e orar pelas famílias”, contou Amanda de Souza, 13, que veio com um grupo de 25 jovens da Igreja Metodista de Jardim América, também no Rio, para participar do culto feito no local da tragédia.

Na Igreja Presbiteriana, ao lado da escola, que era frequentada pela estudante Larissa dos Santos Atanazio, 13, uma das vítimas do atirador, muitas pessoas também participaram do culto deste domingo que homenageou a menina. “Ela esteve aqui no domingo passado”, lembrou diácono Zuclaudio.

O clima é de tranquilidade, mas as feridas ainda estão latentes. Basta mencionar a dor provocada pela perda das crianças que as lágrimas começam a escorrer pelos rostos dos moradores.

“Ainda tem duas crianças no hospital em estado grave, que precisam muito da nossa força”, disse a moradora Maria da Conceição da Silva.

veja também