Michael W. Smith afirma que irá torcer pelo Brasil na Copa da África

Michael W. Smith afirma que irá torcer pelo Brasil na Copa da África

Atualizado: Quarta-feira, 26 Maio de 2010 as 8:53

Embora prefira não ter expectativas, como forma de se blindar de uma possível decepção, Michael W. Smith garante que a sua última experiência no Brasil em 2005 o faz desejar viver algo semelhante na finalização da turnê "A New Halellujah", no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. "Nunca vou esquecer o que aconteceu há cinco anos no Brasil. Estou extremamente empolgado de estar aqui porque vocês respondem de uma forma como nenhum outro país no qual eu já estive. Literalmente foi de tirar o fôlego. Eu espero que vocês adorem da mesma maneira", disse o cantor em coletiva de imprensa que aconteceu nesta quarta-feira, dia 25, na loja Made in Brazil (SP).

"Razoavelmente bom jogador de beisebol", em suas próprias palavras, o compositor que atrai multidões em ginásios dos Estados Unidos abandonou o plano de jogar profissionalmente o esporte que atrai mais espectadores aos estádios americanos após receber o que denomina ter sido um chamado divino. "Eu senti Deus falando que isso era o meu destino. Eu com certeza fiz a coisa certa", disse Smith sobre a carreira musical.

Com recente passagem pela África do Sul, de onde voltou ontem, Michael W. Smith é a aposta da empresa Goldlight para o início de um projeto que visa profissionalizar o mercado de shows evangélicos com personalidades internacionais. "O que existe de melhor que o povo tem esperado há muito tempo nós vamos trazer", disse o diretor Valdo Romão Júnior que já tem na lista de previsões nomes como Casting Crowns e Jeremy Camp.

O slogan que ficou conhecido pela empresa de telefonia TIM é o mesmo encontrado pelo pastor Massao Suguihara para definir qual deve ser a realidade do Corpo de Cristo: Sem-fronteiras.  "O dia que perdermos contato com as igrejas que envolvem o mundo todo vamos acabar perdendo. É uma riqueza para nós e é muito importante receber de todos: americanos, africanos, asiáticos, sul americanos. Cada denominação tem algo importante. Corpo é isso. Nós precisamos uns dos outros", observou Massao.

Leonardo Gonçalves realizou um sonho ao ser escolhido para ser o

intérprete de Michael W. Smith 

"Eu sou ele em português"

Com a responsabilidade de ser o intérprete oficial de Michael W. Smith, o cantor Leonardo Gonçalves pôde realizar um sonho que começou em 2005, enquanto acompanhava a apresentação de Smith no Ginásio do Morumbi (SP) com tradução de André Valadão.  "Eu estava assistindo na arquibancada, no último banco, e pensei: '- Meu sonho é traduzir esse cara da próxima vez que ele vier'", afirmou o adventista que já traduziu o bem conceituado Ron Kenoly.

"Eu me ofereço gratuitamente para traduzir todos os cantores que vierem. Eu abro espaço na minha agenda. O pessoal que trouxe o Michael vai trazer o Kirk Franklin também. Eu estou torcendo para me chamarem de novo", disse Gonçalves, que aproveitou para enfatizar o desejo de não estar no palco, mas ao lado de "homens de Deus".

Sobre a possibilidade de cantar na abertura do evento, Leonardo Gonçalves foi imediato: "Não. A minha função é de tradutor. Eu não sou ninguém. Eu sou apagado. Eu sou ele [Michael W. Smith] em português. Se ele me chamar para cantar, o que não vai acontecer, eu não vou dizer não, é claro; eu não sou maluco. Mas eu não tenho nenhuma expectativa em relação a isso de maneira alguma".

Seja fiel ao chamado de Deus: Vá em frente

Em apresentação à imprensa pela primeira vez desde que chegou ao Brasil, o cantor considerado um dos expoentes na trajetória musical cristã americana falou sobre o processo de suas composições, preocupações sobre o estágio atual do estilo gospel, sua impressão de redes sociais como o Twitter e revelou que irá torcer pelo Brasil na Copa do Mundo da África.

"É muito bom estar de volta ao Brasil. Acredito que foi em 2005 quando estive aqui pela primeira vez e todos da minha equipe ainda falam nisso. Vocês são muito apaixonados. Foi uma experiência que eu nunca vou esquecer", disse Michael W. Smith.

Michael W. Smith cantou "Might To Save", música do seu último CD

A New Hallelujah Confira a Coletiva de Imprensa:

Cantores cristãos que não abordam o Evangelhos nas letras:

Eu tenho algumas preocupações. No fundo, no fundo, acaba dependendo qual é a sua motivação. Se a sua motivação é se tornar uma grande estrela, uma celebridade, eu acho que isso não vai te levar a lugar nenhum. Eu acho que algumas pessoas foram chamadas para fazer música pop que são crentes, mas eu também acredito que outros são chamados para estar no mercado fonográfico de música cristã. Seja apenas fiel naquilo que Deus te dá e se mantenha real, verdadeiro e autêntico.

Conselho para jovens que tem o seu ministério de Michael W. Smith como referência

Seja fiel ao chamado de Deus na sua vida. Diria: Vá em frente. Algumas pessoas foram chamadas para ministrar numa escala menor, algumas foram chamadas para ministrar nas nações. Eu acho que Deus não tem um sentimento diferente em relação aos dois grupos de pessoas. Seja excelente naquilo que você fizer, tenha bons amigos ao seu redor porque há um mundo difícil aí fora.

Todo mundo me diz o quão maravilhoso eu sou e por outro lado Deus me fala para eu negar a mim mesmo. Eu construí um sistema em que eu tenho pessoas próximas que protegem o meu coração. Todos nós precisamos disso. A melhor notícia do dia é que Deus é a favor de nós.

O motivo que o levou a deixar o beisebol e expectativa para a Copa do Mundo na África

Eu queria ser um jogador de beisebol profissional e sem ser arrogante eu posso dizer que eu jogava razoavelmente bem, mas aos 15 anos alguma coisa mudou. Eu senti Deus falando que isso era o meu destino. Eu com certeza fiz a coisa certa.

Acabei de chegar ontem da África do Sul e tem um movimento grande acontecendo por lá, mas eu só vou falar agora na frente de toda a imprensa que eu estou torcendo para o Brasil ganhar a Copa do Mundo.

Turnê com outros artistas: Third Day, Toby Mac e Max Lucado.

Esse projeto foi uma ideia do Max Lucado pelo seu o 25º aniversário no processo de escrever livros. Eu também sou muito amigo deles (Third Day, Toby Mac e Max Lucado). A ideia é reunir todo mundo e tentar patrocinar crianças [carentes] por uma organização chamada World Vision. Esse é o objetivo da turnê. É uma turnê grande de estádios nos EUA. Queria muito que viéssemos ao Brasil fazer esse show. É uma pena. Vai ser uma apresentação e tanto.

Novo CD:

Esse talvez seja o melhor disco da minha carreira até agora e vai sair neste ano, provavelmente no outono. Worship entre os discos prediletos e outro instrumental.

Nesse novo CD você vê mais pop, não é como Worship ou A New Hallelujah Têm muitos hinos, no sentido muito mais de hino. Eu tenho vontade de fazer esse disco há muito tempo.

Importância das redes sociais como o Twitter  para carreira do artista:

As pessoas ao redor do mundo gostam de saber o que você está fazendo. O que eu gosto mais é compartilhar alguns pensamentos que são até palavras encorajadoras para as pessoas ao redor do mundo. É interessante que você consegue enviar uma citação a respeito de Deus a respeito do amor Dele por cada um de nós. Eles simplesmente começam a retwittar para o mundo inteiro. É incrível. Eu vou inclusive twittar depois dessa coletiva.

Conciliar o casamento com as turnês:

Estou casado há 28 anos e meio com uma mulher incrível de Deus chamada Deby. Tenho 5 filhos (26 anos o mais velho 18 o mais novo). Dois meninos e 3 meninas. Tenho 3 netos. Ual!

Ela [Debby] acredita que é o que Deus quer que eu faça. Eu estou muito mais tempo com ela do que várias pessoas pensam. Ela viaja comigo de vez em quando. Pela graça de Deus tem sido uma jornada muito boa.

Composições: Como captar os "sons dos céus"

Uma das minhas músicas prediletas são: "Agnus Dei". Acho que a inspiração vem da vida, é compartilhando os sofrimentos das pessoas e também as alegrias da vida. Eu adoro falar a respeito do amor paterno de Deus por nós, essa graça e misericórdia que eu acho que até precisam de mais canções sobre isso. Quando você realmente vivencia isso, a vida se torna realmente boa. Muitas pessoas estão tentando ser muito performáticas, tentando viver de acordo com a lei.

Se você pudesse fazer uma pergunta para Jesus qual seria?

Por que está demorando isso?

Expectativas para essa nova turnê

Eu não gostaria de ter expectativa nenhuma, porque acho que é uma maneira maravilhosa de se viver a vida. Assim você não se decepciona. Tudo de maravilhoso que acontece é simplesmente a cereja do bolo. Nunca vou esquecer do que aconteceu há 5 anos no Brasil. Se eu passar de alguma maneira com algo parecido com aquilo. Estou extremamente empolgado de estar aqui porque vocês respondem de uma maneira como nenhum outro país no qual eu já estive. Literalmente foi de tirar o fôlego. Eu espero que vocês adorem da mesma maneira.

Impressão sobre o crescimento do Evangelho no continente africano:

Eu acho que tem coisas maravilhosas acontecendo na África. Tem muito trabalho a ser feito por causa das epidemias de malária e AIDS. A Igreja precisa de um bom trabalho lá, das nossas orações, do nosso apoio.

Pirataria:

Eu Cho que é um princípio errado. Não é por eu não receber o dinheiro, mas tem tantas outras pessoas que não recebem dinheiro. São os compositores e os editores. Tem algumas pessoas que acham que as músicas deveriam ser de graça. Se isso acontecesse em todos os aspectos teríamos um problema.

Michael W. Smith cantou "Might to Save" na Coletiva de Imprensa:

  Por Felipe Pinheiro

Fotos: Marcos Paulo Correa da Silva

Vídeo: Bola Rádio (radioweb da Igreja Bola de Neve)

veja também