Michel Temer responde sobre acusações a religiosidade em comunidade evangélica no RJ

Michel Temer responde sobre acusações a religiosidade em comunidade evangélica no RJ

Atualizado: Terça-feira, 14 Setembro de 2010 as 11:17

No sábado, a Catedral das Assembléias de Deus, em Volta Redonda, foi palco de grande celebração da comunidade evangélica. E o candidato à Vice-Presidência pela coligação Para o Brasil Seguir Mudando, Michel Temer, foi o convidado especial do Bispo Manoel Ferreira (PR-RJ), coordenador do movimento evangélico da campanha de Dilma, e do deputado federal pelo Rio de Janeiro Eduardo Cunha (PMDB). Todos contaram com a companhia de mais quatro mil fiéis.

Temer falou aos presentes sobre suas origens e pediu atenção sobre as infâmias criadas e plantadas na internet em época eleitoral. “A internet é uma área livre. Onde são criadas diversas coisas falsas para prejudicar pessoas públicas. Por isso quero pedir atenção para todos vocês no que lêem nesse meio. Muita inverdade tem sido publicada sobre minha pessoa e da candidata Dilma na web. Inclusive questionando minha religiosidade. Peço que respondam lá a verdade”, destacou.

Em apoio às palavras de Temer, o Bispo Manoel Ferreira, lembrou a história do candidato e o tempo de amizade entre os dois. “Michel Temer leva uma vida pública há mais de 40 anos. É uma carta lida por toda sociedade. É um homem devoto a Deus e sempre foi. É católico e está aqui conosco, evangélicos. Faço questão de dizer isso e endosso o que ele falou sobre as barbaridades que são publicadas na internet. Todos precisam saber disso”, enfatizou.

Enquanto isso Eduardo Cunha lembrou-se da seriedade com que Michel Temer conduziu a Presidência da Câmara dos Deputados nos últimos dois anos e falou da importância do apoio dos evangélicos durante a campanha. “Ele sempre teve pulso firme e soube conduzir as questões mais delicadas no Congresso. Enquanto não havia consenso entre os lados ele não deixava votar. Colocava os dois pontos de vista para conversar até que um denominador fosse encontrado. E sei que irá ajudar a conduzir o País com essa liderança que Deus deu para ele. Tenho certeza também que com a ajuda de toda a comunidade evangélica eles dois (Dilma e Temer) vão vencer a eleição”, concluiu.

Mesmo com a agenda apertada, Temer pediu para falar mais cinco minutos aos fiéis, ocasião na qual aproveitou para lembrar os sucessos da economia do governo Lula. “Nessas minhas andanças pelo País eu vi muita cidade que mudou por conta da bolsa família. Principalmente pelo Nordeste do país. Em algumas cidades, o cidadão que ganhava R$ 30 por mês passou a ganhar mais de R$ 100. Com isso passou a consumir mais na quitanda e assim foi com toda cidade. O dono da quitanda teve que contratar mais gente para atender ao aumento de demanda e assim foi nos demais estabelecimentos. Isso é aquecimento da economia. Aconteceu em todo País e continuará a acontecer coma Dilma e comigo”, falou.

Temer aproveitou ainda para falar de casos de sua vida, como a situação na qual entrou para a política. “Eu era procurador-geral de São Paulo e fui convidado pelo governador do Estado na ocasião 1984, Adhemar de Barros, para assumir a secretaria de segurança pública. Minha maior missão era unir a Polícia Civil e a Militar, que estavam em atrito. A situação era tão caótica que dias depois pensei em desistir. Mas foi ai que resolvi assumir o papel que a vida tinha me colocado. Que Deus havia me colocado. Era uma missão que Deus queria que eu cumprisse e eu cumpri. E desde então estou aqui. Agora aconteceu o mesmo e Ele me colocou com a Dilma juntos para que possamos conduzir o País para anos ainda mais prósperos”, disse Temer.

Ao fim do encontro, o Bispo pediu para que todos se levantassem e fizessem uma oração para que Temer saísse da Catedral com energias renovadas e protegido para o resto da campanha. O que de fato vai acontecer, segundo experiências anteriores de Temer. “Todas as vezes que encontro Manoel Ferreira é a mesma coisa. Sinto uma sensação de paz e conforto”, finalizou.

veja também