Milhões de pessoas, em uma só voz, entoam grito de revolta

Milhões de pessoas, em uma só voz, entoam grito de revolta

Atualizado: Quarta-feira, 6 Julho de 2011 as 2:57

A duas semanas da mais importante campanha de fé da Igreja Universal do Reino de Deus - a Fogueira Santa de Israel, que se encerra no próximo domingo, 17 de julho - milhões de pessoas compareceram aos Cenáculos do Espírito Santo no mundo inteiro, a fim de dar o grito de revolta contra os problemas.

Em São Paulo, às 9h30, o bispo Romualdo Panceiro realizou a reunião no salão principal do Cenáculo em Santo Amaro (zona sul da capital) e, ao final do encontro, convidou as milhares de pessoas presentes a se deslocarem para o estacionamento do templo, os quais, a céu aberto, externaram ali suas indignações, entoando um grito de revolta contra todos os males que as afrontam.

O ex-presidiário Edvaldo Nunes Marcelino (foto ao lado) era um dos presentes à reunião e, em um determinado momento, testemunhou o que Deus fez na vida dele. Evangelizado na prisão, ele explicou que aprendeu a agir a fé e a não aceitar a condição de derrota, quando ainda estava na cadeia, participando, inclusive, da primeira Fogueira Santa.

“Já em liberdade, não foi fácil, pois ouvi muitas críticas em relação à minha fé, mas perseverei, arregacei as mangas e fui trabalhar, embora encontrasse muita resistência por ser um ex-presidiário. Hoje, estou casado, atuo como representante comercial no ramo têxtil, moro em uma confortável casa de 750 metros quadrados, tenho automóveis, mas é importante dizer que tudo o que tenho vem do altar, onde deposito o meu tudo também”, descreveu Edvaldo, que atribui todas as conquistas à ação da fé, por meio da  Fogueira Santa de Israel.

Para o microempresário, Diego Madeira, de 27 anos, participar da oração a céu aberto na rua paralela ao Cenáculo do Espírito Santo do Brás, zona leste da capital paulista (foto ao lado), foi algo marcante, pois pôde vislumbrar ainda mais a grandeza de Deus.

Embora ele já tivesse tido experiências quando deixou de viver na miséria e alcançou uma vida próspera, ele descreve o momento do clamor, realizado no último domingo, pelo pastor Edson Costa, como algo único. “Foi maravilhoso, porque quando clamamos dentro da Igreja, sabemos que Deus nos ouve, mas não conseguimos enxergar o céu. Já aqui fora, todos contemplamos o infinito, recebendo a certeza que assim também serão as bênçãos derramadas por Deus nas nossas vidas: infinitas”, finaliza.

veja também