Ministério une turismo e distribuição das Escrituras na China

Ministério une turismo e distribuição das Escrituras na China

Atualizado: Quinta-feira, 30 Junho de 2011 as 8:35

Através de um ministério que atua na China, alguns estão descobrindo um novo significado para o termo "férias com propósito". O turismo global vem se expandindo na última década, aumentando a oportunidade de compartilhar a Palavra de Deus. De acordo com a Sociedade Bíblica, esse ministério de turistas deve abençoar 30 mil pessoas com a Bíblia chinesa contemporânea.

Mais de 873 milhões de pessoas em todo o mundo falam o chinês mandarim. Logo, faz-se extremamente necessária a tradução bíblica para essa população.

Tradicionalmente, tem sido um desafio obter o número suficiente de Bíblias para as mãos dos crentes chineses. Há Bíblias sendo publicadas através de uma empresa aprovada pelo Estado, mas o que eles são autorizados a produzir é apenas uma gota de um grande balde.

Durante a distribuição das Escrituras, um turista agradeceu aos voluntários por sua Bíblia e disse: "Eu sou de uma família cristã. Temos quatro gerações de cristãos na minha família, mas nunca tivemos uma bíblia em nossa casa. Muito obrigado!" Outra turista voltou várias vezes para pegar um pouco mais de bíblias. Quando a equipe perguntou por que precisava de tantas, ela respondeu: "Em nossa igreja não há nenhuma bíblia. Temos apenas partes impressas das Escrituras para uso durante o culto. Eu gostaria de poder levar bíblias o suficiente para a nossa igreja inteira!"

Recentemente foi lançada a Bíblia da China Contemporânea e já está sendo compartilhada com os turistas que viajam em todo o mundo. "Uma jovem chinesa veio a mim e apontou para o coração dela e disse, 'Hallelujah', mostrando que ela era crente e estava grata pelo presente", disse um voluntário do ministério chinês. "Ela encorajou outros a virem receber as Escrituras. Foi uma bela lembrança do princípio bíblico da multiplicação."

Esse ministério pede que cristãos do mundo todo orem pelo financiamento de bíblias, pelos recursos e segurança dos que trabalham em projetos como esse, especialmente em países asiáticos. Esses irmãos enfrentam muita perseguição, risco pessoal, e precisam de mais voluntários e recursos para realizarem o ministério com sucesso.

veja também