Missionário é acusado de 'crime de ódio' após evangelizar em Londres

O pastor nigeriano Oluwole Ilesanmi foi acusado em junho deste ano e absolvido na última segunda-feira (18).

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 19 Dezembro de 2017 as 9:55

"A coisa mais amorosa que um pregador pode fazer é dizer às pessoas a verdade", disse o missionário. (Foto: Reprodução).
"A coisa mais amorosa que um pregador pode fazer é dizer às pessoas a verdade", disse o missionário. (Foto: Reprodução).

Um pregador missionário nigeriano foi acusado na metade deste ano de usar "linguagem ameaçadora e abusiva" em Londres para falar sobre os laços entre o islamismo e o terrorismo. Agora, ele foi absolvido. A Christian Concern informou na última segunda-feira (18) que Oluwole Ilesanmi, de 62 anos, foi acusado de um crime de ódio "islamofóbico".

A queixa foi dada pela polícia sobre um sermão que ele pregou em junho, o que atraiu reclamações de um muçulmano e de dois ativistas políticos. Ilesanmi teria insistido que havia uma conexão entre o terrorismo e o islamismo e disse que a Bíblia é a única verdade, pedindo que as pessoas entregassem suas vidas a Jesus Cristo. Ele foi acusado pela polícia de acordo com a Seção 5 da Lei de Ordem Pública.

O advogado aliado da Christian Legal Center, Michael Phillips, argumentou em declarações escritas perante os Crown Prosecution Services que a lei da Inglaterra permite à liberdade de expressão do pastor. O caso foi descartado mais tarde.

"Eu estou na Inglaterra para trazer de volta a verdadeira mensagem do Evangelho, que os cristãos levaram para a Nigéria. Vi em primeira mão o que muitos cristãos sofreram na Nigéria. É irônico que eu tenha sido acusado exatamente do que os muçulmanos estão fazendo no meu país e em tantos outros países ao redor do mundo", disse Ilesanmi após sua vitória.

"Quando o Reino Unido acordará e perceberá que a submissão ao Islã não é a resposta, que somente o Senhor Jesus Cristo é a resposta para os problemas do Reino Unido? Eu fui entrevistado, acusado e julgado por ser um pregador de ódio", ressaltou ele.

"Nunca fui uma pessoa dessas, apenas preguei sobre o amor de Jesus. Mas a coisa mais amorosa que um pregador pode fazer é dizer às pessoas a verdade, não apenas sobre o Evangelho, mas também sobre falsas religiões, como o Islã", adicionou.

Protegidos pela lei

A chefe executivo da CLC, Andrea Williams, acusou a polícia da Inglaterra de não querer entender que os pregadores de rua estão protegidos pela lei. "Estamos orgulhosos de representar os pregadores de rua de todo o mundo que, tristemente, estão sendo presos e julgados com mais frequência", disse.

"Nós insistimos com a polícia para que eduquem seus oficiais para que os cristãos inocentes não continuem a ser presos". A Christian Concern abordou vários casos no ano passado sobre pregadores sendo acusados ​​de discurso de ódio em Londres.

O evangelista norte-americano Daniel Courney viu sua sentença de culpado ser revertida na semana passada, depois de ter sido declarado em setembro como alguém que usou "linguagem ameaçadora e discriminatória" enquanto pregava aos muçulmanos em Lincoln. Em outro caso em março, o Tribunal de Magistrados de Bristol no Reino Unido inicialmente condenou dois pregadores de rua, Michael Overd e Michael Stockwell, de ofensas de ordem pública por dizer que os muçulmanos estão indo para o Inferno e Jesus é o único caminho. Os pregadores ganharam seu apelo em junho.

veja também